Heltton Matheus na Rádio Jovem Pan confirma que tramou tudo sozinho - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Heltton Matheus na Rádio Jovem Pan confirma que tramou tudo sozinho

27/01/2017

Heltton Matheus na Rádio Jovem Pan confirma que tramou tudo sozinho

Heltton Matheus apareceu. Nesta sexta-feira, o jogador que disputou a última Copa São Paulo de futebol junior pelo Paulista, concedeu entrevista a Rádio Jovem Pan AM. O atleta confessou que falsificou os documentos para jogar no futebol, mudando seu nome de Heltton Matheus para Brendon Matheus. Na entrevista ele novamente pediu perdão ao Paulista, e emocionando pediu desculpas a sua família. Ele confirmou que tratou tudo sozinho, e que o seu empresário, o ex-jogador Alberto, não sabia de nada.

Helton na entrevista contou que já foi ajudante de pedreiro e seu pai é pintor de automóveis. Ele contou que sua família passou por dificuldades, mas não chegou a passar fome quando viveu em São Gonçalo, mas quando começou a sua carreira de atleta de futebol no interior do país, chegou a passar fome.

Ele confirmou que não é parente do verdadeiro Brendon Matheus, apenas amigo, e que deseja falar com ele e com a família de Brendon, para pedir desculpas. Heltton confirmou que saiu do Rio de Janeiro para atuar no futebol já com a identidade adulterada. Ele descobriu a pessoa que o delatou através dos áudios que foram divulgados pelas redes sociais.

Vampeta, presidente do Audax e comentarista da Rádio Jovem Pan, está levando o atleta para o clube de Osasco e pretende inscrever o zagueiro no Campeonato Paulista. "Ele vai assinar com a gente, independente da punição, o clube fará a defesa do menino. Vou inscrever ele no Campeonato Paulista na segunda-feira. Até agora ele está livre para atuar". O ex-jogador concorda que Heltton possa levar um gancho. O campeão do mundo pela seleção brasileira em 2002, deseja que Heltton esteja em Jundiaí para pedir desculpas aos atletas, Paulista e a cidade. "Ele tem que encarar de frente". Confira mais detalhes da entrevista de Heltton ao programa Esporte em Discussão da Jovem Pan.

- Qual seu nome e porque demorou para dar sua versão
"Vamos esquecer esta história de Brendon. Meu nome é Heltton Mattheus. Demorei, fiquei assustado, confesso, pois não achava que ia repercutir de forma mundial"

- Sentimento após saber o caso
"Fui tratado como um bandido, porque o sentimento era cometido delito de ter sequestrado alguém. Tiver que ficar quieto, preso, mas sabendo do meu equívoco. Estou aqui para retratar"

- Pediu perdão
"Pedir perdão ao Paulista, que abriu as portas para mim, que me deu a oportunidade, pedir perdão aos atletas, só quem estava lá sabe o que passamos, e pedir perdão ao professor Umberto e comissão técnica. Independente do meu erro individual, o que fizemos na Taça SP não pode ser esquecido, e não vai ser uma peça que vai apagar o que o Paulista foi feito. Paulista é muito maior que é mim. Pedir perdão ao meu pai e mãe que me deram uma educação, que não era para fazer isso. Eu queria apenas dar uma vida digna a eles"

- Quem o entregou
"Onde moro, quem entrega tudo é tratado como X-9. Não quero falar o nome da pessoa que me entregou, mas perdoou ele. Falta de perdão é um copo de veneno que a outra pessoa pode morrer"

- Porque mudou identidade
"Escolhi o futebol, porque era o meu sonho, não fiz da forma certa, fiz errado, mas queria melhorar a renda da minha família. Foi justamente eu, fui eu. Estou sendo homem. Não teve terceiro. Eu armei tudo. Tudo que ocorreu é culpa minha. Eu sou culpado de tudo, não quero entrar nos detalhes como consegui os documentos, fui eu que armei tudo, não tem terceiros e estou aqui para desculpar"

Recomenda o que fez
"O erro não pode ser recomendado. Elimino qualquer tipo de pensamento. Seria hipócrita, que a pessoa não poderia fazer, porque eu fiz, e assim aprendi na minha vida que a sua mente prioriza a sua vida. Se ela prioriza o trabalho, pensa no trabalho, a verdade é a verdade, e a necessidade e a necessidade. Nem todo mundo vai ser o Heltton que vai ter o Vampeta para ajudar. Não faça isso que eu fiz, eu recomendo, só eu sei que sofri e continuo sofrendo"

Recado para Jundiaí
"Torcida do Paulista pedia autografo, se pendurava na grande. Agora sou tratado como uma pessoa que acabou com sonho de muitas pessoas. Eu não queria ter fama, queria apenas sustentar minha família. Jundiaí sei que vocês estão tristes, mas não sou bandido, ladrão. Não foi por maldade. Não passou na minha cabeça que meu ato iria acabar com sonho de muitas pessoas. Não queria prejudicar ninguém"

Vai voltar a jogar futebol
"Eu achei que nem iria poder voltar a jogar futebol. Meu maior medo não era votar. Meu medo não era ser preso, da torcida me agredir - e entendo o torcedor do Paulista, que é fanático e agarra com unhas e dentes. A gente estava fazendo era algo revolucionário. Nenhum erro vai apagar que a gente construiu nesta Copa SP. Minha maior punição já está ocorrendo, deitar cabeça no travesseiro e deparar com minha consciência, com 13mil pessoas me odiando e eu fiz elas chorar de tristeza".

Que punição merece receber
"O que seria justo eu não sei, que tipo de punição irei sofrer. Acho que ficarei sem jogar um tempo no futebol. Não tenho mais motivo de andar de cabeça abaixa, pois hoje sou Heltton de verdade. Qualquer punição que sofrer vou encarar de peito aberto. A punição que vier, vou acatar"

O que veio na cabeça quando caso foi revaldo
" Nem sei o que senti. Não tinha vontade de chorar, dormir, comer. Uma angústia, aflição. Era mistura de tristeza. Essa é a maior punição. Não queria nem me olhar no espelho, pois sabia que prejudiquei a mim.. Nem queria ver as reportagens, pois estavam alfinetando, como ocorreu. Até no Jornal Nacional meu caso passou"

Reação da família
"Para minha pai e mãe foi um choque tremendo, até pela minha conduta. Tive um desvio de caráter. Onde moro diz quem é Heltton, eles irão dizer como funciona, procedo, como ago. Procurei sempre seguir o certo, mas o ser humano é falho”

Batatais sabia do caso
"Assim que cheguei no campo (no domingo) fazendo aquecimento, gente da comissão técnica do Batatais batia foto da gente e alguns atletas do Batatais me chamavam pelo nome verdadeiro e ficava cabreiro. Procurei responder dentro de campo. Se eu não jogasse aquele jogo, o Batatais perdesse, a bomba iria estourar, pois já tinha atuado na competição”

Galo seria campeão
"O Paulista seria campeão da Copa SP mesmo se eu não jogasse. O grupo que Umberto fez era sensacional. Não sei se o nosso time era melhor que o Corinthians, mas nosso time estava encaixado para enfrentar o Timão e tínhamos chances. Assisti a final, com dor no coração”

Porque negou a verdade ao Paulista
"Neguei a eles (presidente do clube – Pepe Verdugo e ao treinador – Umberto Louzer). Sabia da repercussão que ia dar e não ia ter defesa. Eles não tiveram culpa de nada. Eu que driblei a comissão técnica e todo clube. Quando conversei com o presidente e o treinador, na verdade estava tremendo mais que vara verde. Procurei ser calmo, para não demonstrar, pois se demonstrasse iria jogar tudo fora. Fiquei medo de ficar preso no clube, medo de ocorrer tudo"

Ajuda do seu empresário
"Alberto por incrível que parece, ele é um homem de muita hombridade e estará comigo. Achei que ele iria me abandonar pela atitude que tive, mas agradeço a Deus por deixar ele colocar no meu caminho"

Conversou com atletas do Galinho
"Me xingaram de tudo qualquer forma, de todas as línguas, mas estão na razão deles. Conversei com o Brayan, ele me xingou tudo, não acredito que você fez isso comigo e no final ele falou pô mano não sentia raiva de você, tive que extravasar porque quase acabou a minha carreira, pois jogar uma final é diferente. Ele passou, mas não consigo sentir raiva de você, e segue a sua vida" (ele contou que conversou por telefone e Whatsapp também com Vitor Hugo, Vitor Lopes e Arthur)

Deseja falar com Umberto
"Quero olhar para cara do Umberto, pois ele só trabalha com a verdade. Chegar no nível da mentira, foi mais baixo que tive fazer e ter que olhar no olho dele foi díficil. Ele é integro, retro, trabalha com a verdade, quem tá melhor joga. Ele é um homem de verdade. Assim queria um dia para me retratar com ele, chegar nele é reverter essa situação. Não sei como ele está se sentido e queria pedir perdão para ele pessoalmente"

Porque adulterou
"Achava que tinha capacidade de ser jogador de futebol, mas oportunidade não tive, pois comecei tarde. Minha base jogar futebol na rua, campeonato de favela e na praia. "Comecei tarde, e não iria ter a oportunidade, como estou tendo agora"

Onde pode chegar no futebol
"Tenho bola para ser jogador diferenciado. Nada que eu falar, valerá a pena se eu não jogar e vou mostrar no Audax. Tenho bola para jogar na seleção. Não acreditava em ser jogador, agora sou e irei atrás de vestir a amarelinha no futuro. "Não é um gato que vai me impedir de virar um grande jogador de futebol"

Jogo contra o São Carlos

"Numa partida contra o São Carlos, a gente abriu 2 a 0. O Paulista era taxado do time do 1 a 0 e a gente segurava e corria muito. Quando abrimos 2 a 0, a gente largou, paramos de correr, pois a gente achou que estava fácil. É aquilo. A dificuldade fortalece a gente"

Esporte em Discussão de 27/01/2017 - Programa na Integra


Thiago Batista – Esporte Jundiaí; fotos: Reprodução – Rádio Jovem Pan