Peneira de vôlei masculino: 80 garotos no Bolão para serem avaliados - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Peneira de vôlei masculino: 80 garotos no Bolão para serem avaliados

23/02/2017

Peneira de vôlei masculino: 80 garotos no Bolão para serem avaliados


Nesta quinta-feira, 80 garotos estiveram presentes no ginásio do Bolão para participar da peneira de vôlei masculino, promovido pela equipe de Jundiaí que disputará torneios da Associação Pré-Olímpico e também da Liga Regional de Campinas. A quantidade até surpreendeu um dos treinadores da modalidade, Marcelo Henrique Pimentel.

“Gostei muito da peneira pelo número de atletas que surpreendeu, foi acima do que esperávamos e com boa qualidade. Temos bons atletas que podem dar frutos para a gente em 1 ou 2 anos, já que nosso trabalho é a media-longo prazo”, disse. Ele que procurava atacantes, principalmente para o seu time infantil, conseguiu na peneira suprir as suas necessidades. “Tivemos três atletas atacantes no infantil muito bons, que podem até começar jogando na nossa 1ª partida oficial na categoria, pois eles se encaixam bem dentro do que esperamos para a nossa equipe”, completou.

Para Carlos Calabresi, coordenador da modalidade, e também treinador no vôlei masculino, as posições mais procuradas atualmente no vôlei são levantador e meio-de-rede. “O levantador é fundamental, pois um time mais ou menos com um bom levantador consegue jogar, mas uma excelente equipe, mas com levantador ruim não consegue jogar. Já o meio-de-rede é uma posição que exige de mais, principalmente atenção, concentração, velocidade e agilidade”.

Um dos participantes, que foi aprovado, foi o jovem João Zanatta, de 15 anos. Ele estava super alegre, já que foi a segunda vez que participou da peneira. “Foi uma peneira concorrida, e o nervosismo atrapalha um pouco”, confidenciou. João gostaria de jogar como líbero, mas atualmente treinava como ponta na escolinha do SESC. “Um dos meus espelhos é o Serginho, gostaria de jogar como líbero, mas tenho que melhorar o passe”, disse. João esteve acompanhado da sua mãe, Regine Zanatta, de 37 anos, que já jogou vôlei no Bolão. “Praticava a modalidade aqui até os 20 anos, hoje apenas brinco lá no SESC”.









Thiago Batista – Esporte Jundiaí; fotos: Thiago Batista