“Precisamos de muito mais, ter alma, atitude”, diz Umberto após derrota - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: “Precisamos de muito mais, ter alma, atitude”, diz Umberto após derrota

18/02/2017

“Precisamos de muito mais, ter alma, atitude”, diz Umberto após derrota


O treinador Umberto Louzer disse que o Paulista precisa mostrar mais em campo nesta Série A-3, caso sonhe em escapar do rebaixamento. Com 1 vitória em 6 rodadas, e ocupando a 18ª colocação, em uma competição que rebaixará seis clubes ao final de 19 rodadas, o comandante do Tricolor está incomodado com a falta de ambição do time dentro das partidas.

“O que temos a falar ao nosso torcedor é pedir desculpas a eles. Estou também nesta situação. A gente está trabalhando bastante para sair deste desconforto. Precisamos de muito mais, ter alma, atitude e que a gente consiga sair desta situação adversa”, declarou. “Você trabalha, busca passar todas informações necessárias, direcionar trabalho do dia-a-dia, onde até acontece, mas não consegue transportar no dia de jogo. A gente está muito passivo, está faltando atitude, e dar uma resposta para nós mesmos”, completou.

Umberto lamentou a derrota por 2 a 0 para a Matonense, que na visão dele era um concorrente direto neste momento na briga contra a queda para a 4ª divisão Estadual. “O jogo de hoje era contra um concorrente direto, era o primeiro fora da zona de rebaixamento, e eles abriram seis pontos da gente. Precisamos ter atitude, mudar postura por completo. É a realidade nossa hoje é essa (brigar para não ser rebaixado), pois mesmo que a gente obtenha uma vitória (na próxima rodada) não vamos sair da zona de rebaixamento). Nós precisamos melhorar em todos os aspectos e setores. Mas o mais importante é ter ambição de vencer. E nosso time foi muito apático e fica mais fadado a perder”, contou.

O comandante lamentou que a equipe tenha voltado do 2º tempo desatento. “A gente corrigiu no intervalo, pede nível de concentração, e logo com um minuto tomamos um gol, com desatenção total. O lance tinha dobra (de marcação), superioridade numérica no setor e isso se chama falta de concentração, e quando baixa e propenso a sofrer o gol”, disse.

O time do Paulista agora 10 dias para trabalhar, já que a sua próxima partida será apenas no dia 1º de março, quarta-feira de Cinzas, quando enfrenta o Rio Branco, em Americana. Um tempo considerado ideal para Umberto para acertar o time dentro de campo. ““Quanto mais tempo para trabalhar, para conhecer o grupo, aprimorar as coisas. Do que enxergo futebol estamos muito distantes. A gente precisa trabalhar, e ter mais intensidade no dia-a-dia do trabalho para transportar para o gramado”, afirmou.  “Eu vejo futebol independente de A-3, se atleta de divisão, se é o clube de divisão. Vejo futebol por conquista. A gene precisa rever conceitos e algumas coisas. Eu acredito no futebol bem jogado, ser intensivo, bem marcado, e com domínio da posse que busque o mais rápido possível, jogando com velocidade e infiltrações. A gente faz num momento e outro de forma tímida, e quando faz pouco vira presa fácil dos adversários”, completou.

Thiago Batista – Esporte Jundiaí; foto: Thiago Batista