“Se tiver necessidade da camisa roxa, vamos atrair coisa boa agora” - Umberto - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: “Se tiver necessidade da camisa roxa, vamos atrair coisa boa agora” - Umberto

07/02/2017

“Se tiver necessidade da camisa roxa, vamos atrair coisa boa agora” - Umberto


O técnico Umberto Louzer quer atrair tudo de positivo para o Paulista, para tirar o time do lado ruim da Série A-3 do Campeonato Estadual. Sem ter pontuado nas duas primeiras rodadas, a equipe está na zona de rebaixamento para a 4ª divisão do Paulistão. E para melhorar a maré, uma superstição pode voltar a Jayme Cintra. A camisa roxa. Ela que deu certo na Copa São Paulo para Umberto, já que dentro de campo, usando uniforme desta cor, o Galo venceu os oito jogos que disputou (somente foi eliminado por decisão do TJD) pode retornar nesta quarta-feira, quando Louzer dirigirá interinamente o time profissional, contra o Atibaia, às 19h30.

“Acredito em Deus e no trabalho. Estamos trabalhando bastante para ajustar tudo. Se houver necessidade da camisa roxa, vamos atrair tudo de coisa boa agora, precisamos de coisas boas, para a gente consiga essa vitória e ter tranquilidade no campeonato”, contou.

Umberto comandou na segunda-feira dois treinos, com bastante intensidade, onde os atletas brigavam pela bola como se fosse uma partida oficial. Algo que ele pediu antes dos jogadores subirem ao gramado. “Futebol tem que ter alegria, com comprometimento, com organização, com dedicação e intensidade de treino. E quando subimos pedimos todo trabalho com intensidade, competividade e situação de jogo. Se não trazer o habito bom de competir, intensidade e para o jogo, vai faltar”, afirmou.

O treinador em vários momentos do treinamento parava para acertar o posicionamento do seu time, seja na defesa ou no ataque. “Nós precisamos corrigir os setores, os três compartimentos têm que andar juntos. A gente mostrou vídeos, mostramos algumas situações, pois algumas foram erradas, com ou sem a bola, e por isso estamos tentando corrigir, para não oferecer aos adversários infiltrações. Mas para nosso sistema defensivo funcionar, os homens da frente pressionar o homem da bola, até para retomar essa bola. Ele não pode ser driblado ou fazer a nossa linha ser quebrada com facilidade. Tem que estar agrupado, ter intensidade, e quando roubar a bola sair rápido, pois estávamos saindo com lentidão, jogando de lado, procurar verticalizar mais, para pegar o rival desguarnecido”, disse. “A gente quer ocupar o campo. O segredo é quando tem a posse de bola é você ocupar todo o campeonato para divulgar as ações defensivas do time adversários”, completou.

Sobre o rival de quarta-feira, Umberto sabe os pontos fortes. “O Atibaia é um adversário que joga bem apoiado. Tem velocidade nos extremos. Um lateral que apoia bem. Um articulador muito interessante, agudo que organiza bem. Temos que ter nossos setores equilibrados para neutralizar as ações deles”, contou o treinador que deseja que as arquibancadas na quarta-feira tenham mais carinho com os atletras do Galo. “Estamos num momento difícil. Estamos passando confiança aos atletas e ter coragem do que precisam fazer em sua função, mas contamos com a confiança do nosso torcedor e ter paciência com nossos atletas, e com força deles de fora estaremos mais fortes dentro de campo e ajudar o Paulista a ganhar na quarta-feira”.

Thiago Batista – Esporte Jundiaí; fotos: Thiago Batista