Sindicato dos atletas pede para parar Séries A-1, A-2 e A-3 por violação a regra - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Sindicato dos atletas pede para parar Séries A-1, A-2 e A-3 por violação a regra

06/02/2017

Sindicato dos atletas pede para parar Séries A-1, A-2 e A-3 por violação a regra

Série A-3, que tem Paulista e Nacional, pode ser paralisada pela SAPESP.
O Sindicato dos Atletas de São Paulo (SAPESP) pediu na Justiça a paralisação das competições da Federação Paulista de Futebol por conta de atrasos de salário em clubes do Estado. Desde 2012, há uma regra que prevê perda de pontos e até rebaixamento em caso de não pagamento (Paulista quase perdeu pontos se não quitasse a dívida com atletas em 2013, o que culminaria na queda da Série A-1 para a Série A-2 na época). Porém, o SAPESP afirma que tem ocorrido o acobertamento de casos de atraso. A elite do Campeonato Paulista começou neste fim de semana, com a primeira rodada. A Série A-2, já teve três jornadas disputadas. A Série A-3 teve duas rodadas jogadas.

Em 16 de janeiro de 2017, o SAPESP protocolou um termo de encerramento de prazo sem que a FPF se dignasse a uma resposta. Somente no dia 27 de janeiro de 2017 é que foi encaminhado ao Sindicato de Atletas SP a contra notificação, porém, uma Ação Civil Pública já havia sido ajuizada em 24 de janeiro de 2017. Na Ação Civil Pública ajuizada na justiça do Trabalho de Campinas pelo total desrespeito da FPF foi feito pedido de liminar para paralisar as competições oficiais da entidade em 2017.

Em um primeiro momento, o juiz do caso indeferiu a solicitação, mantendo os campeonatos. Ainda assim, o Tribunal exigiu que a entidade que rege o futebol de São Paulo apresente os documentos que provam a regularização dos pagamentos de salário. Caso a FPF não o faça, é possível que a paralisação seja determinada.

“Evidente que não queríamos solicitar a paralisação dos campeonatos, mas com base na experiência que adquirimos vimos que as grandes transformações que resultaram nas melhorias desenvolvidas no futebol têm por base dois pilares: um, a iniciativa sempre foi do Sindicato de Atletas Profissionais do Estado de São Paulo, nunca dos dirigentes; e, dois, sempre através de ações judiciais, nunca em razão de negociações inteligentes, mesmo que tentássemos essa via de condução,  porque a mentalidade reinante é por demais arcaica, aquela que tem sempre por base o próprio umbigo, assim, não nos restou outra opção”, finalizou Rinaldo Martorelli, via sua assessoria de imprensa.

De acordo com o Sindicato, em 2016 o Batatais foi à semifinal da Série A-2 com quatro meses de salários atrasados, e mesmo assim não foi punido. O mesmo se viu com o Santo André, que acabou conquistando o acesso à elite. Pelo regulamento, os clubes deveriam ter sido impedidos de jogarem a fase final da competição. O Sindicato na nota enviada a imprensa acusa o TJD de não cumprir o regulamento.

Thiago Batista – Esporte Jundiaí; foto: Thiago Batista