Thiago Batista: A paciência com treinador de futebol está ficando muito pequena - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Thiago Batista: A paciência com treinador de futebol está ficando muito pequena

05/02/2017

Thiago Batista: A paciência com treinador de futebol está ficando muito pequena

A paciência com o treinador de futebol está cada dia ficando mais curta. O que era quase uma exclusividade das terras tupiniquins a troca constante de comandantes, já chegou a Europa. Alguns técnicos mal começam seus trabalhos e após poucos jogos são demitidos.

O meu conceito de futebol não dá para avaliar um treinador por apenas dois jogos. É um parâmetro muito pequeno para avaliar o que o chefe técnico do time deseja do seu time: se é uma equipe com toque de bola, atuar no contra-ataque, como gosta de atuar as suas linhas, como os atletas devem se posicionar em campo e outros detalhes mais.

Alguns podem dizer: mas o time teve 30, 60 dias de pré-temporada. Correto. Mas ali é um tempo para se avaliar o elenco, de trabalhar o estilo do seu time em campo, mas a prática mesmo somente pode ser 100% avaliada quando ocorrem os jogos oficiais. No mínimo tem que se esperar 5 partidas para saber se o trabalho do treinador vai andar ou não.

Nos dias de hoje, a paciência com o treinador está cada vez menor: pressão maior das arquibancadas – sejam as de concreto ou as virtuais estão fazendo mais diferença. Também a pressão da mídia a cada dia que passa está mais forte. Por isso, é muito importante avaliar bem o profissional que um clube vai trazer para comandar o time. Conhecer como ele gosta que seu time atue, quais tipos de jogadores deseja no seu elenco, e quais os seus objetivos no campeonato. Não se pode trazer um técnico apenas se avaliando o currículo....

Por Thiago Batista – jornalista responsável pelo Esporte Jundiaí