Orlando Gaeta: Ser goleiro não é fácil - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Orlando Gaeta: Ser goleiro não é fácil

14/03/2017

Orlando Gaeta: Ser goleiro não é fácil



Por Orlando Gaeta
Comentarista esportivo em rádio e tv


No último final de semana ocorreram falhas de goleiros importantes do futebol paulista.

Cássio, do Corinthians, armou uma barreira com um “buraco” no meio e dois jogadores nas extremidades. Apenas serviu de referência para o cobrador, Lucca, que mesmo batendo fraco, fez o gol.

Dênis, do São Paulo, coleciona falhas e não foi diferente no último sábado. Lateralizado (termo usado por Rogério Ceni) ou adiantando, não importa, mal posicionado independente da falha da zaga. Nos demais gols, chega atrasado à bola. Resumindo, o tricolor está mal servido na posição, inclusive com a indicação do Sidão pelo especialista e hoje treinador.

O goleiro da moda é de pelo menos 1,90 m e jogar com os pés.  Waldir Peres, Leão, Taffarel entre outros não teriam espaço hoje em dia. Um grande absurdo.

Enzo, goleiro do Paulista na Copinha, com uma estatura mediante chamou a atenção do Goiás e deve se transferir para o futebol goiano.

Um dos melhores preparadores de goleiro é o Carlão, do Paulista. Revelou grandes goleiros como Arthur, Victor e Rafael Bracali. Com certeza uma referência que deveria ser mais ouvida pelos mais jovens e pelos modistas.