Paulista espera na 2ª feira resposta da FPF se vai a Catanduva ou ganha de w.o. - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Paulista espera na 2ª feira resposta da FPF se vai a Catanduva ou ganha de w.o.

19/03/2017

Paulista espera na 2ª feira resposta da FPF se vai a Catanduva ou ganha de w.o.

Por Thiago Batista – Esporte Jundiaí
Foto: Thiago Batista

O Paulista está com os olhos e ouvidos bastante antenados em Catanduva, para saber se o estádio Silvio Salles será liberado ou não e dentro do prazo regulamentar. O jogo está marcado para a próxima quarta-feira, às 19h30, para a cidade de Catanduva. Segundo a diretoria do Galo, a Federação Paulista tem que confirmar até segunda-feira se o palco programado para a partida está liberado ou o Tricolor irá vencer a partida por w.o., pela falta dos documentos de liberação do Silvio Salles.

“No site da Federação o estádio está interditado, e se fosse para mudar o mando do jogo teria que ter ocorrido até a última terça-feira. 72 horas do jogo é segunda, e a Federação tem que nos comunicar se vai ocorrer a partida ou não. A Federação tem que definir se vai ter jogo ou não”, disse o gerente de futebol do Paulista, Antônio Carlos Nogueira de Sá Jr., o Juninho. “Terça-feira estaria fora do prazo. A gente tem que receber a informação na segunda-feira”, completou.


O clube jundiaiense tem um informante bastante particular para saber a situação do estádio Sílvio Salles a todo momento. “O Canela, auxiliar do Sérgio (Caetano) e de Catanduva, e ele está ligado 24 horas com pessoal da cidade e tem as informações”. Segundo o Ivan, o pessoal da cidade disse ter a documentação liberando o estádio”, declarou o gerente do Paulista. “Mas porque não mandaram o documento da Polícia Militar liberando o estádio para a Federação na própria sexta-feira”, questionou Juninho.

Segundo o gerente do Galo, a preparação do elenco para a partida será como se ela ocorresse.  “A gente vai nos preparar para o jogo, trabalhar para o jogo, com a nossa viagem programa para terça-feira após o almoço”, disse.  “Se não tiver o jogo seria excelente. A gente ganha uma semana de preparação, evita cansaço de viagem e não teríamos gastos que ocorrem em viagens longas, como hospedagem”, completou Antônio Carlos Nogueira de Sá Jr..