Rafael Porcari: O mico das arbitragens nos clássicos paulista e carioca - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Rafael Porcari: O mico das arbitragens nos clássicos paulista e carioca

28/03/2017

Rafael Porcari: O mico das arbitragens nos clássicos paulista e carioca

Por Rafael Porcari
Comentarista de arbitragem da Rádio Difusora – Jundiaí e ex-árbitro de futebol profissional

Duas ruins arbitragens nos dois jogos mais importantes da Rodada. Resumidamente:

Vinícius Furlan, que em 2016 fez uma lambança em Campinas na partida Ponte Preta x São Paulo (sendo afastado pelo resto do Brasileirão) e que teve problemas no teste físico deste ano no Paulistão, deparou-se com a escala do Majestoso. O São Paulo já tinha uma pré-disposição contra ele desde que atuou mal num polêmico Palmeiras x São Paulo, onde se enrolou no lance entre Tolói e Dudu. Desta feita, no Morumbi, não expulsou Nem com cartão vermelho direto no começo do segundo tempo. Errou, e na sequência, fez média ao não aplicar o segundo cartão amarelo a Pablo (que resultaria no Vermelho). Não foi árbitro nesta oportunidade, foi mediador!

Luís Antonio Silva Santos, o veterano Índio, de 47 anos, foi pessimamente no Clássico dos Milhões. Aliás, Flamengo x Vasco em Brasília no Cariocão é demais! Erros aos montes, nem precisam ser relatados pois ganharam o Brasil.

Sabe a similaridade e a diferença dos dois jogos quanto à arbitragem dessas duas partidas?

Em comum, dois árbitros mal escalados. De diferente, Furlan não teve influência no resultado final. Índio sim.

O apito no Brasil padece. Falta competência para quem escala. Ou melhor, para quem sorteia.