Seletiva de futebol feminino atrai 30 garotas ao Jayme Cintra. E com boas histórias - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Seletiva de futebol feminino atrai 30 garotas ao Jayme Cintra. E com boas histórias

11/03/2017

Seletiva de futebol feminino atrai 30 garotas ao Jayme Cintra. E com boas histórias


Por Thiago Batista – Esporte Jundiaí
Fotos: Thiago Batista

Ocorreu neste sábado, no gramado do estádio Jayme Cintra, a tradicional seletiva do futebol feminino para atrair jogadoras para as equipes de competição. Cerca de 30 garotas estiveram participando, e o nível das atletas agradou a treinadora e coordenadora de futebol feminino da cidade, Tatisa Zonaro. Atletas da equipe adulta estiveram ajudando na avaliação.

“Qualidade muito boa das garotas, principalmente das atletas do sub-15. Nosso objetivo agora é trabalhar a formação das atletas, desde garotinhas para chegar preparadas quando estiveram adultas”, disse Tatisa. “Todas que estão aqui sabem jogar futebol, tem noção e gostam da modalidade. Algumas arrebentam na escola, mas aqui ficam pouco tímidas, com medo de errar”, completou.


Uma das participantes era a ex-jogadora de handebol Laura Cecília, de 18 anos. Ano passado ela foi vice-campeã paulista juvenil pelo JHC, onde atuava como ponta-esquerda e às vezes como armadora. Mas o futebol é também uma das suas paixões e este ano resolveu arriscar tudo pelo esporte que se faz gol com os pés. “Sempre joguei futebol, principalmente no condomínio onde moro, em Itupeva. Este ano resolvi parar de jogar o handebol, conversei com a minha mãe e resolvi arriscar no futebol”, disse a jogadora que é santista de coração, mas tem um carinho pelo Barcelona. “Foram oito anos jogando handebol, mas até o momento não deu saudades”, completou. “Ela começou desde pequena em uma modalidade, mas chegou num patamar que não estava mais a motivando e ela quer jogar futebol”, afirmou Tatisa.

Laura Cecília
Outra participante da seletiva foi Lorenza Cavalcante, de 9 anos. Filha do ex-treinador do Paulista, Beto Cavalcante, já participou de competições no futsal. Ano passado ela defendeu o Juventus, na Copa Garotão, na categoria sub-9. Sobre a seletiva ela gostou muito. “Sempre gostei de futebol”, disse ela, que se espelha em alguém da família para atuar no futebol. “Quero jogar do meio para frente, se possível como meia-atacante. Eu me espelho no meu irmão, que joga como meia no sub-15 do Paulista, pois meu pai sempre foi zagueiro”, disse com sinceridade.

Lorenza Cavalcante
A modalidade este ano terá outro foco além dos torneios que disputará: ir nas escolas para atrair garotas a jogar futebol. “A gente já está visitando as escolas para atrair garotas, pois sempre tem ótimas jogadoras. Ontem (sexta) visitei duas escolas, e algumas alunas se mostraram interessadas em praticar a modalidade e até disseram que viriam na seletiva”, afirmou a treinadora.