Basquete feminino: Greve geral no país já faz vítima! Estreia do sub-19 de Jundiaí é adiada - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Basquete feminino: Greve geral no país já faz vítima! Estreia do sub-19 de Jundiaí é adiada

27/04/2017

Basquete feminino: Greve geral no país já faz vítima! Estreia do sub-19 de Jundiaí é adiada


Por Thiago Batista – Esporte Jundiaí
Foto: Federação Paulista de Basketball - Divulgação

A possível greve geral que deverá ocorrer no Brasil nesta sexta-feira fez uma vítima: o Esporte. A partida do basquete feminino sub-19 do Time Jundiaí contra São José dos Campos, no Vale do Paraíba foi adiada, em virtude do ato que deverá fechar estradas no país.  O jogo marcaria a estreia da equipe jundiaiense, do técnico Luís Cláudio Tarallo, no Campeonato Estadual da categoria. A partida foi modificada para o dia de 3 maio (próxima quarta-feira), permanecendo o horário das 19h.

O Estadual sub-19 de basquete feminino em 2017 tem seis equipes participantes: além de Time Jundiaí e São José, participam Bradesco de Osasco, Santo André, Brazolin de São Bernardo, e Venceslau. As agremiações se enfrentam em turno e returno, e as quatro melhores avançam aos playoffs. Semifinais e finais serão em melhor de três partidas.

São José já disputou uma partida no torneio, no qual perdeu para Venceslau por 53 a 47. O Time Jundiaí com o adiamento terá dois jogos seguidos na mesma semana, já que depois do dia 3 entrará em quadra no dia 5 para enfrentar o Bradesco, em Osasco.  

A greve geral - As principais entidades sindicais do Brasil convocaram uma greve geral contra a ampliação da terceirização e as reformas previdenciária e trabalhista para esta sexta-feira- há a promessa de adesão por parte de diversos setores do funcionalismo público e privado em todo o país. Espera-se, por exemplo, que bancários paralisem suas atividades em ao menos 22 Estados, de acordo com informações da CUT (Central Única dos Trabalhadores), uma das centrais sindicais que convocaram a paralisação. Professores das redes pública e particular também dizem que irão cruzar os braços, assim como aeroviários e funcionários dos serviços de ônibus, metrô e trens.