Rafael Porcari: Luiz Flávio, sua contusão e a sequência do jogo - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Rafael Porcari: Luiz Flávio, sua contusão e a sequência do jogo

03/05/2017

Rafael Porcari: Luiz Flávio, sua contusão e a sequência do jogo

Rafael Porcari – Comentarista de arbitragem da Rádio Difusora

Fiquei muito triste ao assistir a contusão do Luiz Flavio de Oliveira na partida entre Água Santa x Bragantino. Uma fratura no pé é algo dolorido e que tirará o juizão do começo do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. Boa sorte ao amigo na recuperação! Mas apesar desse fato lamentável, surgiu uma questão sobre regras de jogo: e se no momento da contusão acontece um pênalti ou sai um gol? O que fazer?

Vamos lá: o árbitro, se escorregar, cair ou ficar impossibilitado de correr, ainda é a autoridade máxima da partida. Sendo assim, se ele puder ver a conclusão da jogada, confirmará ou não a legalidade do gol ou marcará o pênalti / falta / simulação (conforme for o lance). Se ele não puder ver (e estando consciente que o jogo continua) e a sequência da jogada, por exemplo, resultar em um gol, o bandeira mais próximo poderá dizer a ele se foi legal ou não.

Mas e se ele ficar desacordado? O que se faz? Se o bandeira perceber, deverá entrar em campo e anunciar que a partida está paralisada a partir daquele instante. Imediatamente, nada mais vale (afastando o risco de uma falta dentro da área ou um gol, sem a ciência do árbitro).

O curioso é: uma partida não pode começar sem um dos membros do quarteto de arbitragem, mas pode terminar sem um deles. Por exemplo: e se a contusão fosse no aquecimento? O quarto-árbitro entraria no jogo como substituto e alguém (como o observador, por exemplo) seria designado para fazer os serviços administrativos do 4o árbitro.

Mas e se fosse a falta de um bandeira e do árbitro, por exemplo, e não existisse um observador? Veja que curioso: o quarto-árbitro assume o jogo, o bandeira 1 fica em sua mesma função e o “novo” árbitro escolhe duas pessoas (podem até ser da arquibancada) para assumirem a posição de bandeira 2 e quarto-árbitro. Faz a entrevista com eles, dá o apito inicial e, caso os ache muito ruins na função, dispensa-os.


Reforçando: Não se pode começar um jogo faltando integrante da equipe de arbitragem. Mas terminar, pode!