Basquete: Divino anuncia sua saída do projeto em Jundiaí e times podem acabar - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Basquete: Divino anuncia sua saída do projeto em Jundiaí e times podem acabar

13/06/2017

Basquete: Divino anuncia sua saída do projeto em Jundiaí e times podem acabar

Padre Samuel Alves Cruz, diretor das unidades de Jundiaí e Itu do Divino Salvador conversou com a reportagem do Esporte Jundiaí nesta terça-feira

Por Thiago Batista – Esporte Jundiaí / Foto: Thiago Batista

O Colégio Divino Salvador anunciou nesta terça-feira a sua saída do projeto de basquete feminino de Jundiaí no auto-rendimento no final do mês de junho. Com a retirada da instituição corre-se o risco das equipes da modalidade serem extintas. O padre Samuel Alves Cruz, diretor das unidades de Jundiaí e Itu do Colégio Divino Salvador, em conversa com a reportagem do Esporte Jundiaí¸ na sede do colégio da Vila Arens, disse que não foi a crise um dos motivos da saída, e sim uma mudança na gestão da instituição, que segundo ele está passando por uma restruturação e se tornando mais profissional.

“A dois anos estávamos querendo deixar o projeto, e no final do ano passado a gente renovou, já que tínhamos conversas com empresas que poderiam assumir o basquete feminino de auto-rendimento na cidade no 1º semestre. Mas as conversas não deram resultados, nenhuma deu uma sinalização positiva e agora estamos deixando”, contou.

Samuel contou que comunicou a decisão a Prefeitura de Jundiaí, que ajudava o basquete feminino com o pagamento de taxas de arbitragem e de inscrição na Federação na última semana. “Eles foram os primeiros a serem comunicados. Conversamos com o gestor do esporte, Luiz Trientini e entendeu a situação. Ontem (segunda-feira) a gente comunicou a comissão técnica que passou a informação as atletas”.

“A gente passa por uma reflexão desde 2013, quando assumimos a direção (após a morte do padre Divo) e o Colégio está em transformação com prioridade numa educação de qualidade, mas também com sustentabilidade, sem deixar o esporte também”, completou.  Segundo padre Samuel, o Divino não vai deixar o esporte de lado, e continuará com seu projeto social de basquete masculino e feminino que atende 500 famílias, em Várzea Paulista e também em escolas carentes de Jundiaí.

Samuel também reconheceu o trabalho de todos os componentes que fizeram parte da comissão técnica desde 2005, quando a modalidade retornou ao Divino Salvador (entre o final dos anos 90 até 2004 estava no Clube São João). “A gente reconhece todo o trabalho do Nestor Mostério, que esteve desde o começo do projeto, da comissão técnica, do Jair Tavares, do Tarallo e do Paulinho, que nos deixou recentemente. A atual comissão técnica nos passou ontem uma lista de 18 empresas que procuraram. Eles se esforçaram”.

O Divino entre 2009 e 2013 conseguiu captar recursos para manter o projeto através da Lei do Incentivo ao Esporte. Mas na gestão do padre Samuel Alves, a partir de 2014, não foi mais possível captar recursos. “Não conseguimos captar, existem muitos pedidos no Brasil”, resumiu.

A última competição que o basquete feminino de Jundiaí ainda jogará com a parceria do Divino Salvador será o Campeonato Paulista de basquete feminino da 1ª divisão, que deverá ter a fase final, em Jundiaí, ainda no mês de junho. “O projeto teve 40 anos e revelou muitas atletas para modalidade, algumas fazendo parte de seleção olímpica, mas principalmente de ter dado oportunidade a várias mostrar seu talento”, disse o diretor do Colégio Divino Salvador, que não descartou um retorno. “O Divino já saiu e retornou ao basquete de auto-rendimento. Não vou dizer que não tem volta, pois não sou eterno. Mas pode ocorrer um dia”, completou.