Da base para a seleção brasileira: handebol feminino de Jundiaí faz história - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Da base para a seleção brasileira: handebol feminino de Jundiaí faz história

07/06/2017

Da base para a seleção brasileira: handebol feminino de Jundiaí faz história


Por Assessoria de imprensa da Prefeitura de Jundiaí / Foto: Site da Prefeitura de Jundiaí

Elas começaram cedo, praticaram quase todas as modalidades, mas foi no elenco do Jundiaí Handebol Clube (JHC) que encontraram a identificação para impulsionar a dupla ‘prata da casa’ até a seleção brasileira de handebol.

Quinta-feira, 1 de junho, o encontro entre a criadora e as criaturas. A treinadora, hoje diretora do Departamento de Formação e Rendimento da Unidade de Gestão de Esporte e Lazer, Rita Orsi se rende ao talento da armadora Patrícia Batista da Silva (Pinda) e da ponta Larissa Inae da Silva (Lari). “Desde muito cedo, era possível identificar em quadra que se tratava de duas atletas diferenciadas. O mais importante é destacar o trabalho de base e mostrar que o esporte é muito mais do que uma competição”, declara.

Lari frequentava a escolinha no complexo esportivo Francisco Siqueira Neto, quando foi descoberta pela professora Marli. Hoje, defende a camisa do CS Magura Cisnadie, da Romênia. Foi de lá que recebeu a notícia da convocação. “É sempre bom ver o nosso trabalho reconhecido, mas sei que este resultado só foi possível porque tive uma boa escola de base”, admite.

Já Patrícia passou pelas quadras de Pindamonhangaba e São José dos Campos antes de chegar a Jundiaí. A escolha do destino teve uma única explicação. “Tinha ouvido falar do trabalho que a Rita desenvolvia na cidade e a minha técnica disse que só me liberaria se eu viesse para cá”, revela. Assim como Lari, Pinda também alçou voo alto e, atualmente, atua na Turquia, no Kastamonu Genclik.

Já vestindo a ‘amarelinha’ Lari e Pinda partem para Buenos Aires, na Argentina, onde, de 18 a 25 de junho, disputam o Campeonato Pan-Americano da categoria. Antes, em São Bernardo do Campo, a seleção brasileira joga o III Torneio Quatro Nações. O amistoso terá ainda a participação do Chile, República Dominicana e Portugal.

De Jundiaí, Rita mantém o olhar clínico na direção dos novos talentos e a certeza de que a melhor conquista do esporte estará sempre na categoria de base. “O trabalho que desenvolvemos com o handebol já é um projeto consolidado, mas independente da modalidade, as nossas crianças e jovens precisam ser provocadas. É a chamada pedagogia do exemplo. Somente assim mudaremos a história do esporte de Jundiaí”, conclui.