Maioria da Série A de Jundiaí aceita pagar arbitragem e Amador começa domingo - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Maioria da Série A de Jundiaí aceita pagar arbitragem e Amador começa domingo

05/06/2017

Maioria da Série A de Jundiaí aceita pagar arbitragem e Amador começa domingo


Por Thiago Batista – Esporte Jundiaí / Fotos: Thiago Batista

Finalmente a bola vai começar a rolar na Série A do Campeonato Amador. Em votação realizada nesta segunda-feira, na sede da Liga Jundiaiense de Futebol, no Anhangabaú, dos 12 clubes presentes, a maioria aceitou pagar a taxa de arbitragem, no valor de R$ 150 para cada clube em cada partida, em 2017. A esperança dos clubes participantes é que a Prefeitura de Jundiaí possa repassar uma verba para o custeio da arbitragem. Mas este assunto somente será discutido após encerramento do processo que a Liga passa no Ministério Público, sobre a prestação de contas sobre os gastos do valor recebido pela entidade pelo poder público no ano passado. O encontro durou cerca de 1h45min. A Unidade de Gestão de Esporte e Lazer da Prefeitura de Jundiaí participou da reunião através do seu gestor, Luiz Trientini. No encontro foi informado que a Prefeitura de Jundiaí pode não ceder um centavo para o Amador nesta temporada (clique aqui para saber mais detalhes).


Participaram da reunião representantes de Palmeiras, Estrela, Ponte Preta, Cruzeiro da Morada, Fut-Rap, Cruzeiro da Maringá, Catorze, Fundão, Águia Negra, Jamaica, GR Dois e Real Doze. Primeiramente se negaram a pagar a taxa de arbitragem Cruzeiro da Maringá, Palmeiras, Fundão e Fut-Rap. O restante topou pagar a taxa de arbitragem. “Resenha, Marlene e Sorocabana também me disseram que topavam pagar a taxa, mesmo com seus representantes não conseguindo vir a reunião”, disse Serginho, aos representantes dos clubes na reunião. Depois, os outros quatro clubes se comprometeram a participar do campeonato e pagar a taxa de arbitragem.

A Liga Jundiaiense de Futebol informou que os clubes da Série A que não pagarem taxa de arbitragem nos jogos, sofreram derrota administrativa pelo placar de 3 a 0, o famoso w.o.. Na reunião, um dos momentos alta de discussão foi como os clubes serem recompensados com o pagamento da taxa de arbitragem, caso a Prefeitura de Jundiaí ceda uma verba para o custeio da arbitragem. Serginho disse que tudo que entrar na Liga será para os clubes.


Processo no MP – Na reunião, o diretor jurídico da Liga Jundiaiense, Eduardo Guedes, contou como anda o processo civil no Ministério Público, onde é questionado os gastos da entidade com a verba da Prefeitura para custeio da arbitragem, em 2016. Guedes acredita que dentro de um mês, o Ministério Público dará um parecer favorável. “O processo foi indeferido por duas vezes em Jundiaí, mas o Pleno do Ministério Público deu prosseguimento”, contou o diretor jurídico.

Ele disse que a Liga já entregou a prestação de contas ao Ministério Público e que está no aguardo da resposta. “A prestação de contas foi feita em 21 de dezembro do ano passado, e os clubes presentes aprovaram”, contou Serginho Aguiar.


Na reunião estiveram presentes justamente as duas pessoas que questionaram no Ministério Público os gastos da Liga Jundiaiense sobre a verba cedida pela Prefeitura para custeio da arbitragem no ano passado: Tião Preto e Joacir Ferreira. Tião na reunião disse que os clubes não eram culpados pela situação atual de começar ou não o campeonato. “Os clubes não tem culpa do que ocorreu e eles estão pagando o pato”, disse.


Joaci Ferreira, após Serginho terminar a reunião, se reuniu com os 12 clubes participantes e disse ter provas que a Liga Jundiaiense gastou mais que os R$ 92mil da verba da Prefeitura. Em quase todo o momento, Joaci segurava uma tabela de jogos e de classificação do ano passado, extraída do site Esporte Jundiaí¸ anotado a caneta os valores gastos em cada rodada com a arbitragem por parte da Liga. “Eu tenho ainda mais documentos para apresentar”, disse Joaci. Representantes dos 12 clubes questionaram Joaci do porquê do processo, e que o ele alega não tem justifica.