Série A de Jundiaí: Fordinho sai do Cruzeiro da Maringá. Motivo: “Fair-play” - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Série A de Jundiaí: Fordinho sai do Cruzeiro da Maringá. Motivo: “Fair-play”

17/09/2017

Série A de Jundiaí: Fordinho sai do Cruzeiro da Maringá. Motivo: “Fair-play”


Fordinho dirigiu o Cruzeiro da Vila Maringá pela última vez neste domingo. O motivo não foi a goleada sofrida para o Palmeiras por 5 a 0, no Dal Santo, pela 12ª rodada da Série A do Campeonato Amador. O motivo: o “fair-play” que o treinador teve na partida passada, contra o Resenha, quando ele “anulou” uma expulsão do time rival, no momento que a arbitragem se equivocou achanado que um atleta do Resenha havia recebido dois cartões amarelos. O ocorrido aconteceu após a partida, com o presidente do clube, Aguinelo Oliveira, em uma discussão por telefone confirmada pelas duas partes a reportagem do Esporte Jundiaí.

Segundo Fordinho, a publicação da matéria do Esporte Jundiaí no meio da semana foi o motivo da discussão. “A matéria sobre o Resenha e de anular cartão, veio o presidente do Cruzeiro, o Aguinelo, e veio falar besteira se eu estava igual o Rodrigo Caio do São Paulo. Aí a gente discutiu e estou saindo fora do Cruzeiro por causa disso”, contou. “A gente tem que ter humildade, ter respeito um pelo outro no futebol amador. Respeito de ser correto e digno. Não adianta ser malandro. E ele achou que eu quis ser bonzinho para os caras. Eu estou saindo de cabeça erguida, com o time dentro da zona de classificação. Tem jogador que veio com a gente, e não sabemos se vai continuar, pois alguns tem amizade com a gente. Vida que segue agora. Momento eu saí fora e não irei voltar atrás e ficar de boa”, completou Fordinho.

Aguinelo Oliveira retrucou falando que Fordinho não estava fazendo um bom trabalho no comando do time da Vila Maringá. “Ele não vem bem faz um tempo no meu modo de ver. E acho que ele é fraco. Não sei quem inventou quem ele é técnico. O Dico (presidente de honra do clube) falou comigo no começo do ano, que poderia tocar junto com o Alex, filho do Dico, e com o Fordinho e após reuniões, o Fordinho ficou no clube. Eu estou lá como diretor, mas tem um documento eu como presidente e ajudo o clube algum tempo. E sempre acompanho o time quando pode. Eu vi um jogo que a gente vencia por 1 a 0 e deixou empatar e pedi para melhorar, mas ele tem um problema que não escuta ninguém e diz que ele manda no time é ele. E não gostei disso, pois quando comandei não era autoritário. E sobre a atitude do jogo passado, de anular a expulsão e achei errado. Se ele não tem visão para dirigir o time do Cruzeiro, não pode se meter na arbitragem. A gente dentro do campo quando dirige quer um matar o outro no bom sentido, mas depois do campo a amizade fica”, declarou.

“Hoje falei que tinha uma reunião, e ele desviou. Ele sabe que eu chego e falo, e ele não gosta de palpite. Dico me ligou e eu disse que ele não pode mandar no Cruzeiro, ele não escuta, não mudava o time no intervalo e comentei com o Dico, e deu entrevista sobre o Rodrigo Caio, que não é bonito, pois a gente precisa dos três pontos para se classificar. E se tiver ganhar do time do meu pai no campo, eu vou para ganhar”. “Quem é você para marcar reunião. Retruquei que sou presidente e acho importante, inclusive para avisar que você. E ele disse que é você para falar sobre eu e Rodrigo Caio. Eu disse que não e concordei e a gente gostaria de fazer a reunião”, completou. Aguinelo disse que a reunião também era para discutir também o atual momento do time, o momento de alguns atletas e sobre a escalação de alguns jogadores. Segundo Aguinelo, Alex, filho de Dico, e o Grillo, devem comandar o Cruzeiro até o final da temporada.