Clubes reclamam da Prefeitura sobre os dois adiamentos da rodada do Amador de Jundiaí - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Clubes reclamam da Prefeitura sobre os dois adiamentos da rodada do Amador de Jundiaí

09/10/2017

Clubes reclamam da Prefeitura sobre os dois adiamentos da rodada do Amador de Jundiaí

Cenas como está não foram vistas nos gramados de Jundiaí nos dois últimos domingos

Procurados pela reportagem do Esporte Jundiaí, os clubes das Séries A e B do Campeonato Amador de Jundiaí de forma quase unanime reclamaram da forma como a Unidade de Gestão de Esporte e Lazer da Prefeitura de Jundiaí tomou a decisão de adiar por dois domingos consecutivos a cessão dos campos para a prática do futebol, o que fez por duas vezes as rodadas dos torneios serem adiadas. Também sobrou críticas aos estados dos gramados dos centros esportivos.

Com os adiamentos, a Série A do Amador de Jundiaí pode ter rodadas disputadas em feriados, para conseguir terminar no final do ano, se um novo adiamento ocorrer até o final da temporada, sob o risco do torneio de 2017 terminar apenas em 2018. E sobre o assunto, os clubes estão divididos, alguns aceitando, outros não.

Laércio Pintor – vice-presidente da Ponte Preta: “A Prefeitura e a Liga não estão de parceria. Nos bastidores sabemos disso, mas ninguém fala. O adiamento foi pura retaliação contra a liga pois não iria chover, só que quem está pagando o pato é os torcedores e clubes do Amador. Sobre jogar de feriado, acho difícil, feriado e dia de programa com a família. Os gramados estão péssimos, e sem donos. Os administradores dos centros esportivos não estão nem aí, os campos sem marcação e todos esburacados e a grama alta escove os buracos. Aproveitando: cadê a verba dos árbitros”

Osmar Marinelli – diretor de futebol do Estrela da Ponte: “Não achei justo o adiamento da rodada. Eu acho que a Prefeitura deveria ter um pouco de bom senso e ouvir os times. O Serginho (presidente da Liga) falou que queria ter rodada, temos que acreditar, mas poderia ter sido mais firme com o Trientini (gestor de Esportes). Eu acredito que o problema entre Liga e Prefeitura não deveria afetar os clubes. Existem gramados bons e acho que a Prefeitura deveria liberar o Romão de Souza para jogos do Amador e segurar um pouco o Ovídio Bueno pelas condições do gramado. Por mim, aceitamos jogar em feriados, mas não precisava chegar a está situação. E acredito que em 2018, o campeonato deveria começar em março, para ter mais datas e não passar este sufoco como ocorre neste ano”

João Paulo – diretor do Resenha: “Não achei justo o adiamento da rodada. Não pelo motivo alegado, porque os campos estavam secos. A Prefeitura está preocupada pelo fato dos campos estarem em péssimas condições, porém isso deveria ser feito a meses atrás, para que agora na época de chuva os campos estivessem em melhores condições. Acredito que a Liga tomou a decisão acertadamente em tudo nessa vida existe hierarquia e temos que respeitar cobrar a Prefeitura, porém respeitar. Não acredito que Prefeitura e Liga não estejam falando a mesma língua. São vários fatores que estão atrapalhando o andamento do Amador desde o início do ano acreditamos na competência da Liga e da Prefeitura para que juntos faça o melhor para o futebol amador. E não só os campos estão em condições ruins, mais sim os centros esportivos estão abandonados e em péssimas condições. Em relação aos culpados apesar da troca de administração falta de recursos quem está no comando tem de tomar conta do que é do povo e o povo que usa também. Sobre jogar em feriados, necessito consultar os jogadores, prefiro que acabe em 2017, pois se acabar em 2018 o início do campeonato 2018 será muito próximo assim dificultando a busca de recurso com patrocinadores. E acredito que no próximo ano, com um bom planejamento e conversas com os clubes envolvidos para definir qual a melhor maneira de disputa.

Alex Dico – diretor do Cruzeiro da Maringá: “Não acho justo ser adiado por duas vezes a rodada do Amador e pelo mesmo motivo. Cancelam o jogo no sábado e no domingo um baita sol que poderia ter pratica do esporte nos gramados dos centros esportivos. A Prefeitura de Jundiaí ao invés de ajudar está atrapalhando o andamento do Amador. Eu acho que o prefeito e o secretário estão acabando com o futebol na cidade. Jundiaí não participa dos Jogos Regionais no futsal, não entrou na Copa Tv tem, e quer sempre atrapalhar no Amador. Não entendo o que eles pensam, só ajudam os campeonatos que convém a eles. Não deram uma ajuda para o Amador. A Liga fica de mão atadas, sem poder se os clubes não unir. Quem faz a liga e os clubes, quem colocou o Serginho foram os diretores dos clubes e acho que temos que se unir e cobrar o gestor de Esportes e o prefeito porque na hora do voto estava até chutando bola nos bairros.  A maioria doa gramados estão todos ruins. Acho que estão todos largados pela Prefeitura. A administração municipal deveria estar pensando nos próximos anos colocar grama sintética acho que resolveria muitos problemas. E pensaria num campeonato melhor para o próximo ano porque este ano estamos para trás de muito sucesso campeonatos de futebol amador na região. Para 2019 precisamos de menos times para não acontecer o que vem acontecendo”

Marcel Pires – treinador do Vila Cristo: “Não achei justo cancelar a rodada, porque os campos estavam bem secos e essa chuva não atrapalhou nada, os campos não estavam alagados e cancelaram só o Amador. O futebol amador treinou normalmente. Foi uma péssima decisão por parte da Prefeitura. Eles deveriam conferir os campos antes e ver pelo menos a previsão do tempo que era sol no domingo. Acho que a Liga não poderia ter feito nada neste caso, e a Prefeitura está boicotando o presidente da Liga por ser declarado de partido político opositor e com isso vão acabar com o futebol amador. Os gramados estão ruins e a culpa é da Prefeitura, porque os centros esportivos são cuidados por ela. E acredito que é melhor jogar em feriados, para terminar o campeonato ainda em 2017, do que em 2018. Para o próximo ano pode ser pensado um novo formato de disputa na Série A, com mesmo número de times, porque essa fórmula é muito longa e cansativa”

Emerson Silveira – auxiliar e preparador físico do Real Doze: “Não foi a melhor decisão. O campeonato já está atrasado e a Prefeitura diz que se tiver jogo vai estregar o gramado, mas os campos já estão estragados. O senhor gestor de Esportes deveria dar mais tempo na decisão de adiar as rodadas”

José dos Santos – vice-presidente do Bola Mais Um: “A chuva não mata os campos, que podemos quebrar tornozelos, pernas e etc.... Deixa os meninos jogar Prefeitura. Chuva não mata não. Quer dizem nem choveu neste final de semana”

José Cláudio – presidente do Guarani do Guanabara: “No meu ponto de vista esse ano a Prefeitura não deu atenção para o Amador e não deu atenção para os clubes. Alguns campos estão malcuidados e abandonados. Eu acho que o cara da prefeitura que toma conta do esporte de Jundiaí (Luiz Trientini, gestor do Esporte) não tem competência e a Liga Jundiaiense de Futebol também não foi boa este ano, faltou lhe competência também para um final de boa conversa. Todos foram incompetentes e não merecem o cargo que tem”

Teco – treinador do São Camilo: “Não achei justo o cancelamento, como ficou claro e notório que o tempo estava bom. Não achei uma boa atitude por parte da Prefeitura. A Liga como administração que se encontra está perdidinha. Liga e Prefeitura não estão falando a mesma língua. Os gramados não estão em bom estado, tudo por desentendimento entre a Liga e a Prefeitura. Sobre jogar em feriados, meu time não aceita, a Liga vai ter que se virar. Agora para 2018, o campeonato poderia começar antes, no mês de março ou abril”

Jil Monica – presidente do Bahia: “Não achei justo o adiamento da rodada, porque daria para jogar com certeza e da forma que eles cancelaram também não concordo, porque chega sábado às 19h e fala que está cancelado a rodada. Tem que olhar mais para os clubes porque somente a gente sabe o sacrifício que é manter um time. Achei um desrespeito com todos clubes porque eles não sabem como é difícil para nos manter o time e chegar no sábado simplesmente falar que está cancelada a rodada. A Liga poderia ter batido de frente, pois eles sabem das nossas dificuldades. Eu acredito que pode Liga e Prefeitura não estar falando a mesma língua. Hoje estou em dúvida em que acreditar. Os campos estão ruins e a culpa são dos gestores, a Prefeitura porque eles são os responsáveis pelos gramados. Eu aceitaria jogar nos feriados, porque os jogadores têm compromissos por fora, além de jogar futebol. O ideal para 2018 é ajustar o calendário”