Cruzeiro da Morada pede afastamento do Real Doze da Série A de Jundiaí. Entenda o caso - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Cruzeiro da Morada pede afastamento do Real Doze da Série A de Jundiaí. Entenda o caso

19/10/2017

Cruzeiro da Morada pede afastamento do Real Doze da Série A de Jundiaí. Entenda o caso


O Cruzeiro Morada entrou nesta semana com um pedido na Liga Jundiaiense de Futebol pedindo o afastamento do Real Doze da Série A do Campeonato Amador de Jundiaí por descumprimento ao regulamento do torneio. O motivo seria atos de vandalismo praticado por integrantes do clube no jogo contra o Resenha no dia 17 de setembro, pela 12ª rodada da primeira fase no Dal Santo.


No documento, obtido pela reportagem do Esporte Jundiaí (e já está de posse da Liga Jundiaiense) pede a eliminação do clube por depredação de bem público (centro esportivo é um patrimônio público) e agressão a integrante da arbitragem pelo presidente do clube – Leonardo. No documento, o Cruzeiro Morada lembra que o Real Doze já foi punido por escalar de forma irregular (jogo contra o Jamaica da 8ª rodada, no dia 6 de agosto – empate por 3 a 3, virou vitória administrativa para os jamaicanos por 3 a 0) e pede o cumprimento do regulamento que é o afastamento do time do torneio, e as partidas que seriam jogadas em resultado administrativo a favor do adversário e o impedimento do Real Doze em participar nos anos subsequentes de qualquer campeonato realizado pela Liga Jundiaiense.

“O Cruzeiro somente quer que seja feito e cumprido o que está no regulamento. Se tivesse feito contra o nosso clube a gente seria penalizado. A gente está entrando com o recurso para ver se as pessoas fortes, que conhecem arbitragem, centros esportivos e tem contatos legais e acham que levam vantagem, e se acredito como presidente do clube, agredido arbitro ou quebrado a porta do Dal Santo ou ter escalado jogador de forma irregular as consequências para a gente seriam bem mais graves do que não aconteceu hoje com Real Doze. Não é problema pessoal com ninguém do Real Doze. Nossa diretoria é amiga de muitos do Real Doze, mas a gente está usando o regulamento”, declarou Ademar Bueno, presidente do Cruzeiro Morada.

O presidente do Real Doze, Leonardo Nascimento, em contato com a reportagem do Esporte Jundiaí, se defende das acusações e sobre o risco de o clube ser eliminado da Série A. “Acho desleal da parte do Cruzeiro Morada, pois estão tentando achar um jeito de não serem rebaixados. Tiveram as mesmas chances de todos os times de se manterem na Série A, agora se não foram competentes dentro de campo, não adianta eles ficarem arrumando assunto para escapar do rebaixamento. Com relação aos comportamentos citados agressão a árbitro desconheço, houve sim um desentendimento entre um dos nossos atletas e o árbitro que apitou Real Doze e Sorocabana mais não houve agressão e sim um empurrão. Sobre a porta do centro esportivo Francisco Dal Santo, quem quebrou não fui eu, Leonardo Nascimento, presidente do clube, e sim um torcedor do clube, que neste momento não quero revelar o nome. Mas o senhor Ademar (Bueno, presidente do Cruzeiro Morada) deveria cuidar um pouco mais do Cruzeiro e deixar que do Real Doze eu cuido e cabe a Liga analisar tudo isso, pois até aonde sei ele não faz parte da comissão julgadora da Liga”, contou o presidente do Real Doze. “Porque eles não relatam o comportamento do Mirsso (treinador do Cruzeiro Morada) que contra nós mesmo no Ovídeo Bueno foi expulso, tumultuou o jogo, partiu para cima do árbitro e permaneceu sentado no alambrado. Será que realmente a preocupação dele é o Real Doze? Tenho um respeito por muitos integrantes do Cruzeiro Morada até pela história que tem, porém, esta atitude do presidente senhor Ademar me surpreendeu”, desabafou.

Sobre a expulsão de Mirsso no jogo de 10 de setembro, pela 11ª rodada, o presidente do Cruzeiro rebateu: “O Mirsso foi expulso ele estava do lado de fora do centro esportivo e tem mais ele não xingou o juiz, e sim xingava o lateral do Real que bateu no nosso jogador sem bola então. Se ele está do lado de fora ele é torcedor”, comentou Ademar.

O presidente da Liga Jundiaiense, Serginho Aguiar confirma que recebeu o documento e diz que os procedimentos. “Ouviremos as duas partes para analisar os fatos e depois será encaminhado para comissão disciplinar”. Este caso a Liga Jundiaiense espera até a próxima terça-feira resolver toda esta questão.