Discussão sobre o tombamento será feito nesta quinta-feira no estádio Jayme Cintra - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Discussão sobre o tombamento será feito nesta quinta-feira no estádio Jayme Cintra

22/11/2017

Discussão sobre o tombamento será feito nesta quinta-feira no estádio Jayme Cintra


Nesta quinta-feira, a partir das 19h, no salão social do estádio Jayme Cintra, será feito a discussão sobre o tombamento do estádio Doutor Jayme Cintra. A reunião será feita pelo Compac (Conselho Municipal do Patrimônio Público Cultural de Jundiaí). O evento é aberto para população participar.

O Compac, em março deste ano, aprovou, de forma unânime, que o estádio entrasse para o Inventário de Proteção Patrimônio Artístico e Cultural (IPAAC), dando início ao processo de tombamento do Jayme Cintra. O processo para tombamento do estádio Jayme Cintra entrou no Compac em 8 de abril de 2015, através de um pedido da Diretoria de Patrimônio da Prefeitura. Até março deste ano, o processo praticamente não tramitou.

Na próxima sexta-feira está marcado o leilão do estádio Jayme Cintra, na Justiça do Trabalho, em Campinas. Mas desde 6 de novembro, lances para adquirir a casa do Paulista Futebol Clube podem ser feitos via internet, através do site do leiloeiro oficial Gilson Inumaru – (http://gilsonleiloes.com.br/externo/lote/detalhes/2393769), mas até o final da noite desta quarta-feira, nenhum lance foi registrado, no momento que a reportagem do Esporte Jundiaí visitou o site. O estádio Jayme Cintra está em leilão com lance mínimo de R$ 17.556.243,36 (o estádio foi avaliado pelo leiloeiro Gilson Inumaru) em R$ 35.112.486,73.

É a segunda vez que o estádio Jayme Cintra vai a leilão. Em 27 de abril deste ano, o estádio foi a leilão, pelo mesma Justiça do Trabalho, em Campinas. O valor mínimo era quase o mesmo que atual – era de R$ 17.561.243,37, valor colocado agora. O estádio pode ir a leilão até três vezes. Se não for vendido nas três vezes que for a leilão, a Justiça determina uma nova forma de garantia da dívida.

O estádio Jayme Cintra foi penhorado em 2013. Na ocasião foi entregue à Justiça do Trabalho como forma de pagamento de dívidas trabalhistas. Na época, a dívida era de R$ 3,5 milhões. O leilão foi determinado pelo juiz da 3ª Vara do Trabalho de Jundiaí, que agrega vários processos. A dívida gira em torno de R$ 1,4 milhões. 21 são os reclamantes no processo unificado.