Handebol: Juvenil do Time Jundiaí deseja ginásio “cheio” para 1º jogo da final nesta 3ª - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Handebol: Juvenil do Time Jundiaí deseja ginásio “cheio” para 1º jogo da final nesta 3ª

06/11/2017

Handebol: Juvenil do Time Jundiaí deseja ginásio “cheio” para 1º jogo da final nesta 3ª


Nesta terça-feira, o ginásio Claudemir Santinatto, o Nenho (popularmente conhecido como Anexo do Bolão), que fico dentro do complexo esportivo Doutor Nicolino de Lucca, no Anhangabaú, terá a disputa da primeira partida da final do Super Paulistão (Campeonato Paulista) de handebol feminino – categoria juvenil, entre Time Jundiaí / Jundiaí Handebol Clube (JHC) e Pinheiros. A disputa começa às 18h30. A série entre os dois melhores times da atual edição da competição pode será em melhor de três partidas. E a delegação jundiaiense espera que o “Nenho” (como o Esporte Jundiaí começará a chamar a partir de agora o popular Anexo do Bolão) completamente lotado de torcedores, apoiando a equipe.

“Importante ressaltar a nossa força por estarmos terceiro ano consecutivo na final. Numa competição tão difícil. Tenho certeza que o ginásio estará cheio”, disse a treinadora Edlady Oliveira, que preparou a sua equipe para a final, que será a terceira consecutiva na categoria entre jundiaienses e o clube da capital. Nos últimos dois anos, o Pinheiros levou a melhor na decisão, mas Edlady preparou sua equipe para ganhar o campeonato e não de um rival especifico. “Nós fizemos uma excelente temporada. É isso foi levado em consideração. Treinamos todos os aspectos, claro que num tempo curto a prioridade foi organizar e lapidar nossas ações. Então passamos pela parte física, técnica, tática e emocional. Não entramos no Paulista para vencer o Pinheiros, mas para buscarmos o título de campeãs estadual, contou Edlady.

Este ano, as duas equipes se enfrentaram duas vezes, e o Pinheiros ganhou os dois jogos – 29 a 28, em Jundiaí, no dia 23 de junho; e 45 a 34, em São Paulo, no dia 22 de setembro. “No primeiro jogo contra elas perdemos por detalhes, principalmente ofensivos. Já no segundo jogo, que foi totalmente atípico falhamos defensivamente”, disse Edlady.

Para o primeiro jogo da final, Edlady não terá três atletas: Rafaela, que não atua desde junho, devido a uma lesão no joelho; Thais, que quebrou o dedo, e Natália, que fez uma artroscopia e deve retornar ainda esse mês. “Sobre a Natalia, estamos aguardando a liberação do médico no dia 8”, disse a treinadora, deixando no ar uma possibilidade de ela jogar as outras duas partidas da decisão – marcadas para os dias 15 e 18 de novembro, no ginásio do Pinheiros, em São Paulo.

Para o primeiro jogo da final, o elenco do Time Jundiaí terá as goleias Nayara Bitto, Stefanie Ramiro e Jhennyfer Silva; mais Stefani Silva, Maria Eduarda Teixeira,  Milene Rodrigues, Ruth Silva,  Bruna Rodrigues, Thayna Alcantara, Thaís Rocha,  Larissa Odete,  Yanca Costa,  Milena Pará,  Melissa Silva, Thamiris Ribeiro  Tatiane Rocha. A comissão técnica tem além Edlady Oliveira como treinadora e Preta como auxiliar, tem a treinadora de goleiras Camila Ferraz.

Regulamento das finais – A série Time Jundiaí e Pinheiros é melhor de três partidas. O primeiro jogo da decisão será nesta terça-feira, no Nenho (popular Anexo do Bolão), a partir das 19h. A segunda e terceira partidas serão no ginásio de handebol do Pinheiros em São Paulo, ainda em novembro, no dia 15 – às 16h30, e no dia 18, às 11h. Pelo regulamento, o time que nos dois primeiros jogos ganhar um jogo e empatar o outro, ou vencer as duas partidas fica com o título. Qualquer outra combinação haverá a disputa do terceiro jogo, com o Pinheiros jogando com a vantagem do empate para ficar com o título. “O primeiro jogo é sempre importante, mas não é o jogo da vida porque tem a possibilidade de ter mais dois”, lembrou a treinadora do Time Jundiaí.