"Nem na Black Friday" compram... Pela 2ª vez, Jayme Cintra passa “ileso” no leilão - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: "Nem na Black Friday" compram... Pela 2ª vez, Jayme Cintra passa “ileso” no leilão

24/11/2017

"Nem na Black Friday" compram... Pela 2ª vez, Jayme Cintra passa “ileso” no leilão


Atualizado às 12h30

Pela segunda vez não teve compradores o estádio Jayme Cintra através de um leilão realizado nesta sexta-feira, em Campinas. Ninguém fez oferta, que tinha lance mínimo de R$ 17.556.243,36 (o estádio foi avaliado pelo leiloeiro Gilson Inumaru em R$ 35.112.486,73). Desde 6 de novembro alguém poderia fazer um lance, mas nem na internet, e nem de forma presencial durante o leilão nenhum lance foi feito.

O estádio Jayme Cintra estava no lote 69 do leilão que tem produtos e imóveis que podem ser adquiridos, em virtude de ações trabalhistas nas Varas das regiões de Jundiaí, Leme, Indaiatuba, Itatiba, Campo Limpo Paulista, Atibaia, Capivari, Hortolândia, Itapira, Sumaré, Mogi Mirim e Salto.

Segundo Douglas Britto, repórter da Tv Tem, a juíza Anna Cláudia Torres Viana, ela vai analisar bem o caso, entre dezembro e janeiro do ano que vem, sem que ocorra um novo leilão, e que o clube possa pagar as suas dívidas de outra forma. 

O leilão foi determinado pelo juiz titular, Jorge Luiz Souto Maior, em 21 de setembro deste ano, com a seguinte decisão, no processo que tem a numeração 001868.57.2012.5.15.0096. O primeiro leilão foi feito em 27de abril, pela mesma Justiça do Trabalho, em Campinas. O estádio pode ir a leilão até três vezes. Se não for vendido nas três vezes que for a leilão, a Justiça determina uma nova forma de garantia da dívida.

O estádio Jayme Cintra foi penhorado em 2013. Na ocasião foi entregue à Justiça do Trabalho como forma de pagamento de dívidas trabalhistas. Na época, a dívida era de R$ 3,5 milhões. O leilão foi determinado pelo juiz da 3ª Vara do Trabalho de Jundiaí, que agrega vários processos. A dívida gira em torno de R$ 1,4 milhões.

No 1º leilão 19 eram os reclamantes. Mas a lista agora aumentou e são 21. Os mais “novos integrantes” da lista são Stélio Metzker (ano passado treinou o Paulista na Copa Paulista) e Hudson Fernando Tobias de Carvalho. No 1º leilão e continuam como reclamantes Eduardo Moreira Geraldo; Sindicato dos empregados de clubes esportivos e em Federações, Confederações e academias esportivas no estado de São Paulo, Vanderlei Mascarenhas dos Santos (ex-atacante do Paulista), Anderson Thiago de Souza (conhecido como Thiago, atacante que em 2015 defendeu o São Gabriel-RS) , Simone Fernandes de Araújo, Everton Luiz de Paulo (ex-zagueiro do Galo), Sandra Regina Hoffmann Pessoto, Gilmar do Amaral, Júlio César Antônio de Souza (ex-atacante), Felipe Monteiro Diogo (Felipe Sodinha - ex-meia), Luiz Mauro Cosentino Lacerda, Caio Rancoleta, Adinam Cardozo (ex-goleiro), Fabricio Rodrigues Da Silva (meia que no 1º semestre defendeu o Maringá), Caio Rancoleta, Matheus Galdezani (volante que está atualmente no Coritiba), Joao Henrique da Silva (atacante que no 1º semestre defendeu o rebaixado Rio Preto na Série A-2), Antônio Carlos Ribeiro, e Felipe Torres Julio.