Thiago Batista: Futebol apenas quer ajudar o próximo no Natal? E na Páscoa? E em agosto? - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Thiago Batista: Futebol apenas quer ajudar o próximo no Natal? E na Páscoa? E em agosto?

27/12/2017

Thiago Batista: Futebol apenas quer ajudar o próximo no Natal? E na Páscoa? E em agosto?


Dezembro está sendo aquela overdose a certo momento exagerada de jogos beneficentes. Alguns ganharam transmissão da televisão, que não pode ter uma grade vazia sem um jogo de futebol para atrair os seus telespectadores. Mas o que estamos vendo é um culto ao não futebol, partidas cheio de gracinhas forçadas – muitos lances para mim sem nenhuma graça. E também uma overdose de declarações de atletas que estão ajudando o próximo nesta época? Mas porque este tipo de ação dos atletas de futebol quase sempre acontece em dezembro? Porque não temos algo que beneficie as pessoas na Páscoa? Na época do Carnaval? Em agosto? Em junho, quando os “jogadores europeus” estão de férias. Porque apenas em dezembro?

Os jogadores para ajudar a arrecadar alimentos precisam fazer jogos de futebol beneficentes apenas? Será que não está faltando uma criatividade? Será que ninguém se interessaria por exemplo e ir até mesmo em um estádio de futebol ver por exemplo Neymar, Lucas Lima, Fred, Luis Fabiano e Nenê jogando uma partida de futsal? Ou melhor uma partida de basquete? Ou um duelo de saques de vôlei? Um duelo no tênis? Pois vamos falar a pura verdade, mais de 70% do público que comparece não vai para ver os lances da partida, quer ver os seus ídolos e em certa forma se divertir com alguma graça deles? E se o Neymar brincasse de basquete, este povo não se divertiria? Acredito que sim, seria um produto mais interessante para televisão, pois todos ficaram curiosos em ver Neymar jogando uma partida de basquete, haveria patrocinadores e se arrecadaria alimentos para ajudar o próximo?

Agora a grande pergunta: porque apenas em dezembro tem este tipo de jogo? Justo nas férias da maioria, que ao longo do ano reclama – e com razão do desgastante calendário do futebol brasileiro com viagens cansativas. Mas tem algumas figurinhas que estão em tudo e qualquer tipo de jogo. Aí não tem cansaço – né? Porque os atletas não fazem ações que visem ajudar o próximo não apenas em dezembro e sim ao longo de todo o ano? Exemplo, posso dar vários?

Nas chamadas Datas-Fifa, quando o calendário tiver uma pausa no Brasil e os atletas tiveram dois dias de folga, que tal organizar o Amigos do Batista x Amigos do Thiago? Que tal os atletas cobrarem ações dos próprios clube que visem ajudar o próximo? Porque não cobram? E os clubes podem fazer ações sem alterar o próprio ritmo das equipes. Porque não a cada mês um treino aberto, no estádio principal do clube, com a entrada sendo 1, 2, 3 ou 10 quilos de alimentos para cada torcedor? Uma tarde de autógrafos com os jogadores do time, sendo que para autografar tem que dar R$ 1, 5 ou 10 que irão para uma instituição de caridade? Existem tantas ações que os jogadores de futebol podem realizar ao longo do ano para ajudar o próximo, usando a sua imagem, que não precisam ser necessariamente em dezembro no jogo Amigos do Thiago x Amigos do Batista com a presença do Olim.