Thiago Batista: Não é só jogar. Solidariedade é chegar na hora e dar “oi” com fãs e repórteres - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Thiago Batista: Não é só jogar. Solidariedade é chegar na hora e dar “oi” com fãs e repórteres

24/12/2017

Thiago Batista: Não é só jogar. Solidariedade é chegar na hora e dar “oi” com fãs e repórteres


Neymar era a grande estrela deste sábado do jogo beneficente promovido pelo meia-atacante jundiaiense Nenê. Mas a bola cheia que ele tem quando está dentro de campo, fica totalmente vazia quando ele está fora do campo. As suas atitudes neste sábado não foram nem um pouco legais no estádio Jayme Cintra. Parece que ele não tem solidariedade no seu coração, como a partida deseja mostrar a todos.

Primeiro chegou atrasado. Mas muito atrasado.... Ele chegou as dependências do estádio Jayme Cintra, quando a bola já estava rolando (cerca de 15 minutos do primeiro tempo). Quando chegou, passou reto da zona mista, onde haviam pelo menos 10 repórteres para pegar uma palavra dele. Ele não conceder entrevista, a gente até entende, e é um direito dele. Mas não ter a educação de falar um oi, e nem olhar para os repórteres, mostra o quando ele se acha.

Entrou em campo no intervalo, mostrou o seu show, fez três gols e ponto. Acabou o jogo, somente respondeu às perguntas feitas pelo Mauro Naves, da TV Globo (nem respondeu perguntas do repórter Felipe Diniz, do Sportv, deu pouca atenção aos seus fãs no campo e foi aos vestiários. Não ficou 20 minutos nos vestiários, tentou não passar na zona mista / sala de imprensa na saída de Jayme Cintra. Tentou sair pelo estacionamento do estádio onde novamente havia alguns repórteres e também vários fãs dele. E novamente não olhou para ninguém e não disse nem um “Oi” ou um “Boa Tarde / Boa Noite”. Entrou na van, sentou no seu banco e foi embora.

Se Neymar achar que a missão dele num jogo beneficente é apenas entrar em campo, brincar com a bola, fazer a graça e ir embora está totalmente errado. Ele não precisa falar com os repórteres, até porque suas entrevistas quase sempre não acrescentam nada (se perguntar sobre como joga o Real Madrid, próximo adversário do time dele, o PSG, na Liga dos Campeões, pouco vai dizer). Mas ter um pouco mais de carinho e educação com seus fãs, é o mínimo em jogos como este.

Se não quer ter contato com ninguém, seria mais bonito ele doar 0,01% do seu gordo salário para o Funss de Jundiaí e ter assistido a partida de casa. Até seria uma atitude mais bonita. E todos iriam aplaudir de pé Pois a imagem que ele deixou para seus fãs na cidade não foi legal...