Gustavo Almeida, do sub-20 do Red Bull sobre o grupo 20: “Considero como o mais difícil” - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Gustavo Almeida, do sub-20 do Red Bull sobre o grupo 20: “Considero como o mais difícil”

01/01/2018

Gustavo Almeida, do sub-20 do Red Bull sobre o grupo 20: “Considero como o mais difícil”


Gustavo Almeida irá comandar a categoria sub-20 do Red Bull nesta Copa São Paulo. O treinador, desde 2011 está no Red Bull, onde já foi auxiliar-técnico da categoria sub-20 e comandante da categoria sub-15. Em novembro foi promovido a categoria sub-20 e vai dirigir o time na Copinha. A equipe, que treina em Jarinu, está no grupo 20, ao lado de Avaí, São José – de Porto Alegre e Paulista. Ele considera a chave, a mais complicada do torneio.

“Considero como o grupo mais difícil da competição, pois conta com equipes que fazem um bom trabalho nas categorias de base, com muita tradição. Primeiramente classificar nesse grupo difícil e depois que chegar no mata-mata, pensar cada confronto, mas temos o sonho de estar jogando dia 25, não poderia ser diferente”, disse ele, que deseja um título mais importante: revelar talentos. “Sem demagogia nenhuma, o único título que importa na base são os jogadores que chegam ao profissional, tenho 11 anos de carreira e considero todos jogadores que ascenderam ao profissional como conquistas, também é importante ressaltar que mesmo aqueles que não chegam ao profissional ou conseguem ter uma carreira no futebol, mas conseguem levar o aprendizado que esse esporte proporciona para a sua vida e assim terem de alguma maneira sucesso, é a maior vitória, contou.

Para ele participar da Copa São Paulo é algo importante. “É um privilégio participar de uma competição tão tradicional nas categorias de base, a qual é vista como um grande celeiro de novos jogadores para o futebol brasileiro, ainda mais na Red Bull que oferece todas as condições para que se desenvolva um trabalho de excelência no que diz respeito a formação de atletas”, disse. Mas perguntado se a Copa São Paulo é a principal vitrine para o futebol de base a resposta dele é a seguinte: “A principal vitrine é a equipe profissional que deve deixar espaço no seu elenco para que jogadores jovens e com potencial possam aparecer e se desenvolver, mas a Copa São Paulo é uma ótima oportunidade de mostrar que estão preparados para receber essa primeira chance no profissional”, afirmou.

Gustavo Almeida avaliou que a temporada 2017 da categoria sub-20 do Red Bull foi regular. “Apesar de termos conquistado um título internacional em torneio na Alemanha, não avançamos o tanto que gostaríamos no Campeonato Paulista”, disse. O Red Bull, que na 1ª fase do Estadual estava na mesma chave que o Paulista, avançou as oitavas de final, sendo eliminado pelo São Paulo.

Sobre a sua equipe, o torcedor que for a Jayme Cintra, o treinador disse pode ver uma equipe agressiva, que buscará ser vertical, com organização e também talento individual. “Pressionamos a bola com muita intensidade e organização, quando recuperamos buscamos ser vertical em direção ao gol, prezamos uma boa saída de bola com qualidade e controle, para que nossos atacantes possam desequilibrar no terço final do campo. Jogamos no 4-3-3 e 3-4-3”, contou. Sobre destaques individuais, o treinador prefere não indicar nenhum atleta para ficar de olho. “Temos jogadores que vem participando e experimentando a pré-temporada na equipe profissional, mas todos jogadores vão ter a oportunidade de jogar e se destacar. A Copa São Paulo também serve para que aqueles jogadores que você nem esperava tanto nesse momento mas acabam te surpreendendo com uma grande apresentação. Por isso é melhor não indicar nomes”, afirmou.

Sobre o Paulista, segundo adversário do Red Bull, na primeira fase da Copinha, o treinador já tem algumas informações e que poderá ter um componente extra no seu jogo – a torcida. “Um time muito capaz, que manteve a base no ano, aguerrido e determinado, de novo será um jogo muito difícil e complicado, até porque contará com a torcida a seu favor”, disse.  Sobre Jundiaí, ele espera um brilho especial do torcedor da cidade. “A gente espera a mesma boa recepção que tivemos ano passado, lotando o Jayme Cintra e fazendo um belo espetáculo”, contou.

O treinador tem um sonho no futebol. “Ajudar jovens a realizar o sonho de se tornarem atletas profissionais, eu me realizo através das conquistas dos atletas que ajudei a formar. Gosto muito de trabalhar em categorias de base, já tive a oportunidade de trabalhar como auxiliar técnico do profissional em outras equipes, mas trabalhar com jovens é o que me motiva”, disse.


Foto: Divulgação – Red Bull Brasil