Polo aquático de Jundiaí vai continuar mais forte em 2018... Ideia é continuar projeto de Ernesto! - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Polo aquático de Jundiaí vai continuar mais forte em 2018... Ideia é continuar projeto de Ernesto!

16/01/2018

Polo aquático de Jundiaí vai continuar mais forte em 2018... Ideia é continuar projeto de Ernesto!


Com informações e fotos de João Carlos Coutinho

O polo aquático de Jundiaí sofreu um duro baque no final do ano passado com a inesperada morte de Ernesto Steaheli Neto. Mas a obra deixada por ele não irá morrer, e sim continuar a ser difundida para que novos talentos surjam na modalidade em Jundiaí. Tanto o Clube Jundiaiense, com diversas categorias de base estarão disputando as competições em 2018 e agora, há 5 anos, está sendo respaldada pelo trabalho realizado pela Associação Aquática Jundiaí (AAJ), uma espécie de escolinha da modalidade, cujo presidente é Alessandro Checchinato, o popular ‘Xispita’, aluno de Ernesto e oriundo do polo aquático da Terra da Uva, de uma geração vitoriosa adulta da década de 90.


Nesta terça-feira, na piscina do complexo aquático do Campus da Faculdade Anchieta, aproximadamente 100 crianças, entre meninos e meninas de diversas idades tiveram uma clínica de aprendizagem, com fundamentos técnicos do polo aquático com outro ex-aluno e amigo de Staeheli, hoje uma realidade olímpica e de seleção brasileira, o atacante Rudá Franco, jogador do Sesi São Paulo, e que defendeu a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos do Rio 2016.


Segundo Alessandro, a ideia é continuar o projeto do Ernesto. “Sem dúvida a passagem do Ernesto que era um cara que nos faz muita falta, mas que deixou um legado que não pode morrer. A Associação é um núcleo independente do Clube Jundiaiense, sem vínculo algum jurídico, ao não ser as pessoas que fazem polo e hoje trabalham aqui. Estamos como uma escola de polo aquático para a molecada, sem o aspecto competitivo. Aqueles que se destacarem aqui, poderão ser convidados a jogar nas equipes do Jundiaiense, assim como ele pregava”, analisa.


Para Chispita, a vinda de Rudá foi benéfica. “O Rudá faz parte da Associação Aquática Jundiaí, é um dos diretores e como está de férias se dispôs a vir e depois que o Ernesto morreu, ele nos prometeu que virá muito mais vezes à Jundiaí para manter o polo aquático e não acontecer como outras modalidades que estão com muitas dificuldades como basquete feminino, handebol masculino”, disse o presidente da AAJ.



Rudá, juntamente com os técnicos do Clube Jundiaiense, Gustavo Fonseca e Gabriel Tenório – que irão tocar as categorias competitivas do Azul e Branco, puderam dar uma atenção especial a praticamente 110 crianças, desde os 7 anos de idade até 16 anos que já fazem aulas gratuitas, às terças e quintas.



A Associação Aquática tem projeto aprovado na Lei Federal de Imposto de Renda (IR) e outro aprovado na Lei do ICMS (Lei Paulista de incentivo ao Esporte) para captação de recursos.  Para o presidente da Associação Aquática, a modalidade está num momento de solidez, pois além da AAJ, o Clube Jundiaiense e o Sesão também tem estrutura com campeonatos, em diversas categorias. “Nossa realidade mudou muito rápido no polo aquático. Antigamente os garotos tinham que sair para jogar fora. Hoje se quiserem ficar na cidade, há condições, estrutura de locais e formar bons valores”.



Fotos: João Carlos Coutinho