Thiago Batista: Qualquer esporte é emocionante. Qualquer esporte é maravilhoso - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Thiago Batista: Qualquer esporte é emocionante. Qualquer esporte é maravilhoso

05/02/2018

Thiago Batista: Qualquer esporte é emocionante. Qualquer esporte é maravilhoso


Neste domingo tivemos a disputa do Super Bowl 52 (detesto número romano, deveriam ser extintos, não servem para nada) com uma partida emocionante entre Philadelphia Eagles e New England Patriots, com vitórias do time da Filadélfia por 41 a 33. E a internet, especialmente as redes sociais começou a disputa: futebol americano é muito melhor que futebol, e a resposta era nada é melhor que um gol nos acréscimos, e depois entrava o basquete no meio – uma cesta no estouro do cronometro é uma sensação indescritível. E aí vamos... Eu sou da opinião: todos os esportes são emocionantes. Todos os esportes são sensacionais. Todos os esportes podem ter grandes batalhas, grandes disputas. O esporte em si é maravilhoso.

Quem me conhece sabe, que adoro um esporte que 90% dos brasileiros não querem nem saber: beisebol. Quem acompanhou a World Series de 2016, entre Chicago Cubs e Cleveland Indians, viu jogos emocionantes, épicos. E um final que entrou para história do esporte.

Mas em 1999, tivemos uma final de Liga dos Campeões épica, com Manchester United derrotando o Bayern de Munique, com dois gols nos acréscimos – quando estava 1 a 0 para o Bayern, o goleiro dinamarquês Schmeichel estava na grande área.  

No ano de 2013, Ray Allen fez uma cesta milagrosa de 3 pontos no estouro do relógio, que forçou a prorrogação no jogo 6 para o seu Miami Heat vencer o San Antonio Spurs, forçando a disputa do jogo 7 e a equipe de Miami levar o título.

Só que no ano de 2012, Djokovic superou Rafael Nadal na decisão do Australian Open em um jogo de 5h53min, que teve um set decidido no tie-break e duas parciais terminando 7/5.

Mas o Super Bowl de 2017 foi decidido apenas na prorrogação com uma virada épica dos Patriots sobre o Atlanta Falcons, após estar perdendo por 21 a 3.

Mas quero registrar que no ano de 2003, a decisão da Liga Mundial de vôlei masculino entre Brasil e Sérvia e Montenegro terminou apenas no 5º set que terminou com a parcial de 31/29 a favor do Brasil, após o set anterior ter terminando no limite – 25/23 a favor da equipe brasileira.

E em 2012, o gol de Neto a 19 segundos do final da prorrogação contra a Espanha, que garantiu o sexto título mundial do Brasil na Copa do Mundo de futsal e emocionou muita gente.

E a Fórmula 1 de 2008, que teve Felipe Massa ao cruzar a linha de chegada do último Grande Prêmio da temporada como vencedor da temporada, mas poucos segundos depois, Lewis Hamilton passou Timo Glock e ao cruzar como 5º colocado, levou o título da temporada.

Vocês perceberam que apenas citei finais ou momentos decisivos de algumas modalidades? E todas foram emocionantes, maravilhosos, de tirar o folego e os nossos olhos da televisão até o fim? Eu prefiro curtir todos os esportes, ter uma cultura multiesportiva (o que o Brasil está começando a ganhar nos últimos tempos) e não ser ferrenho defensor de uma modalidade. Por isso, gosto de acompanhar esportes. 

Que você gosta de todos os esportes ou apenas uma modalidade, você é um ser humano, e que vive emoções. Agora se você não gosta de nenhum esporte, nenhum, apenas digo uma coisa: você não é ser humano, você é um ser irracional, que detesta emoções. 

Ainda bem que neste mundo existe o esporte para nos emocionar, deixar bravos, mas alegras com grandes disputas entre seres humanos sejam em equipes ou individuais.