Liga Jundiaiense cancela Copa Cidade de Jundiaí e culpa clubes. Times reclamam da Liga - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Liga Jundiaiense cancela Copa Cidade de Jundiaí e culpa clubes. Times reclamam da Liga

21/03/2018

Liga Jundiaiense cancela Copa Cidade de Jundiaí e culpa clubes. Times reclamam da Liga



A Liga Jundiaiense de Futebol informou nesta quarta-feira o cancelamento da Copa Cidade de Jundiaí de futebol, que era para ter a sua primeira edição ter ocorrido no final do ano passado, depois no começo deste ano, mas a com a entidade sempre adiando o início da competição e adiando por completo o torneio. No comunicado direcionado aos clubes participantes, no qual o Esporte Jundiaí teve acesso, a entidade disse que assume os seus erros, mas entende que muitas equipes não cumpriram com o básico, que são as fichas de inscrições de atletas. A medida, segundo a Liga é para não prejudicar as equipes participantes do Amador. A Liga se compromete, em reunião, nesta quinta-feira, às 18h30, a tratar sobre como irá reembolsar as equipes participantes.

1ª edição foi anunciada em setembro
O torneio foi anunciado ainda em setembro do ano passado, como nome de Copa Jundiaí de futebol amador – que seria com os clubes eliminados da Série B – mas estendendo a participação de outras equipes do futebol jundiaiense (clique aqui para ler matéria da época).  “Com o atraso do Amador (no ano passado), e as próprias condições do campo acabou não ocorrendo. E a gente iria fazer no começo do ano e fomos pegos por surpresa com várias competições ocorrendo, e o preço do campo ficando caríssimo e proibitivo. Não é esse apenas o motivo, era também ajudar os clubes e no final iria acabar prejudicando as equipes e abortar o processo e seguir o planejamento do Amador e do Master 55”, disse o presidente da Liga Jundiaiense, Serginho Aguiar.

“Sempre tem alguns atrasos. Algumas coisas aconteceram e não ocorreram. Muitos clubes deixaram documentação, ocorreram nossos e não quero que isso respingue no Amador no futuro. Melhor focar no Amador que está tudo pronto e tranquilidade. E campos tem bastante para serem alugados se fosse preciso”, contou o presidente. “A Prefeitura somente disse que iria liberar os campos dos centros esportivos em março”, completou.

Clubes que haviam confirmado participação
Haviam confirmado participação no torneio os seguintes times: Nova Geração, Colônia, Gigantes, Cruzeiro Morada, Olympiakos, Meias Aço, Tulipas, Geração Saúde, Trinda, Chuta Coco, Mulekes da Serra, Sampdoria, Treze, Cruz Azul, SP Maranhão, Água Doce, Continental e Terra Nova.

Prefeitura havia vetado ceder campos para o torneio
Ainda em setembro, em entrevista a Adilson Freddo, na Rádio Difusora Jundiaí, o gestor de Esportes e Lazer da Prefeitura de Jundiaí, Luiz Trientini, disse que a Prefeitura não iria ceder os campos dos centros esportivos para a disputa da competição. No dia 1º de março, Trientini disse na reunião com os clubes no Paço Municipal que não iria ceder os campos para a competição – que foi protocolado na Prefeitura como Pré-Amador.

Reclamação dos clubes
“Eu achei errado o cancelamento por parte da Liga. As justificativas para adiamento eram nada concretas, uma atrás da outra e nada convenciam. O cancelamento acabou prejudicando os nossos projetos, pois antes e começar o amador não queríamos fazer somente amistosos e queríamos disputar um campeonato porque achávamos que seria interessante para nós ganhar mais experiência e agora só vamos jogar amistosos. A gente acreditou no projeto da competição, porque teria muito time que vai jogar a Série b e para a gente ir conhecendo, mas no final de tudo, nada disso aconteceu”, contou Luciano Martinelli, diretor do Chuta Coco, que disputará a Série B do Amador em 2018.

“Demorou muito para falar que não iria fazer. Prejudica muito o nosso clube, a gente numa hora destas era para disputar um campeonato, como também qualquer outro time, ter uma continuidade de jogos, e disputar uma fase de oitavas de final de um torneio importante. Agora ficar amistoso, alguns jogadores vão e outros não. É complicado, espera o campeonato sair, e somente saiu da boca para fora, do papel nunca saiu”, contou Danilo Cacaroto, do Colônia.

“Simplesmente absurda e estranha essa decisão tomada pela Liga, porque não cancelou já em janeiro, e sim apenas agora depois de muita pressão. O presidente da Liga falou que a prefeitura iria ceder os campos e depois os clubes descobriram que a Prefeitura não iria ceder. Todos os times se esforçaram e fizeram o pagamento a taxa em dezembro e quatro meses depois descobrimos que essa copa nunca saiu do papel. Fomos feitos de bobo pela Liga, e acabou prejudicando o planejamento de todas as equipes, Eu fui a Liga, fizemos uma reunião, e o Serginho (presidente da Liga) garantiu que iria sair a Copa. Depois, faz um papelão destes. Agora vamos ver o ressarcimento do dinheiro para as equipes”, disse Ney, diretor do Olympiakos.

“O certo seria primeiro anuncia a Copa e depois convida os clubes, na sequência ver a quantidade de clubes e avisar a Prefeitura. Depois vê o calendário e informa os clubes sobre as taxas. Mais o que ouve foi o contrário, primeiro foi o dinheiro das taxas de inscrição para serem pagas e desde então ficou essa briga. De fato, prejudica total porque num momento que todos já estavam cientes no time que ia jogar a copa. Agora somente nos resta o Amador de Itupeva (onde temos uma filial também), porque pela desordem até a Série B de Jundiaí estamos querendo tirar o time. Estamos sujeitos a perder jogadores, já que nos amistosos eu fiz questão de ser tudo contra times de Jundiaí, pôs nosso elenco em evidência, podendo ser alvo de times das Séries A e B chama nossos jogadores”, contou Renato Conceição, técnico do SP Maranhão.

“Sobre o cancelamento da Copa Cidade isso atrapalhou muito principalmente no planejamento do time pois foi feito um trabalho todo voltado para o torneio. Trouxemos jogadores de fora para termos uma sequência com essa Copa para entrar no Amador já entrosado, uma vez que nem todos jogadores gostam de participar de amistosos. Como essa copa não aconteceu tivemos algumas baixas com jogadores migrando para a Copa Aramis Polli. A Liga enrolou demais para tirar do papel essa copa que já havia sido prometido no ano passado para times que não passaram da segunda fase da Série B do Amador, e como não aconteceu foram empurrando com a barriga e deu no que deu muitos times ficando com um certo prejuízo”, disse Ricardo Guimarães, técnico do Terra Nova.

“Nossa equipe estava bem ansioso pela Copa Cidade, desde o ano passado esperando por essa competição. Deixamos de jogar vários outros campeonatos na espera da Copa Cidade. Estamos jogando amistoso desde o início do ano, reparando o time para Copa. A Liga vem e fala que ouve o cancelamento por causa dos times? Isso para min não existe, primeiramente as equipes cumprem sim o básico. Acho que nenhum dos times pagarão a inscrição para não jogar. Isso para mim e má gestão e sei que não é fácil organizar um campeonato. Mais porque só dá gestão da Liga Jundiaiense os torneios não saem? O pior que o Amador está uma bagunça também. A Liga disse que irá reembolsar os times, mais ano passado falarão o mesmo sobre o dinheiro da arbitragem e até hoje não vimos o dinheiro. A Prefeitura não nos libera nada por causa da liga mesmo. Os times precisão se reunir e dar um basta nisso se não, nem o Amador teremos”, Bruno Rodrigues, diretor do Água Doce.

“Achei uma falta de respeito da Liga com os clubes, pois desde outubro do ano passado entregamos as fichas dos jogadores e pagamos a taxa de inscrição cumprindo os prazos e deixando tudo certo para o início do campeonato que acabou sendo cancelado no dia de hoje. No início desse ano também deixamos de participar de outros campeonatos preparatórios acreditando que a copinha iria acontecer, e recebemos a notícia agora no final de março que não terá mais. Enfim tudo isso acabou comprometendo todo o planejamento de várias equipes inclusive do clube Muleks da Serra para o ano de 2018”, contou Murilo Bettini, presidente do Muleks da Serra.