PUBLICIDADE

Atletas do Paulista entram em greve por causa dos salários atrasados

PUBLICIDADE
Com informações do Jornal da Cidade
(matéria de João Carlos Coutinho)

Inconformados com o atraso salarial de quase dois meses, jogadores do elenco profissional do Paulista se reuniram na terça pela manhã durante quarenta minutos na sede do Jayme Cintra e resolveram fazer uma greve e paralisar as atividades em resposta a difícil situação encontrada. Estava previsto um treino técnico no período da manhã e diante da situação, os jogadores (tanto os casados como os solteiros que residem no estádio) deixaram o clube.

O movimento não vai ganhar continuidade nesta quarta-feira, segundo o vice-presidente do Paulista, Cristiano Mingotti. De acordo com ele, uma parte da remessa da negociação do jogador Raphael Martinho (ala e volante) para o Catânia da Série A do Campeonato Italiano será destinada ao clube para quitar metade das pendências de atletas e funcionários. Dentro de 10 dias há a promessa da diretoria liquidar as dívidas com jogadores profissionais e funcionários, quando o Catânia destinará a segunda parte do dinheiro oriundo da negociação.

Essa não é a primeira paralisação que ocorre na história do Paulista. A primeira em caráter nacional ocorreu justamente em Jundiaí em 1977, quando os jogadores do Galo também paralisaram atividades e nem participaram de um jogo previamente marcado. Em 2006, por motivos de atrasos salariais, os jogadores e comissão técnica, à época comandados por Vagner Mancini, optaram por uma greve do silêncio e não falaram sobre a situação com a imprensa esportiva de Jundiaí, tanto os veículos impressos, radiofônicos e televisivos.

Na terça no programa Toque de Bola da Rádio Cidade 730AM, o vice-presidente do Paulista, Cristiano Mingotti, revelou ter ficado surpreso com a proporção que a notícia da greve entre atletas profissionais e funcionários tomou no dia de terça.  “Nestes últimos três meses para cá estamos nesta luta para equacionar os salários de atletas profissionais, funcionários e fomos sim surpreendidos, mesmo reconhecendo que se trata de um movimento legítimo. Só não esperávamos que ganhasse essa proporção. Até já sabemos de onde veio essa 'artilharia pesada'”, afirmou Cristiano Mingotti, se referindo a pessoas que estariam incitando o movimento.

Mingotti adiantou que o clube continua sem fonte de receita e ainda depende dos recursos oriundos do Banco Fator (Campus Pelé). O dirigente afirmou ter ficado chateado com a repercussão do problema. “Essa atual diretoria está tentando fazer algo transparente, estamos sempre dando uma satisfação para os profissionais, mas parece que ainda não confiam na gente”, explicou ele. Em contrapartida, Mingotti frisou que os jogadores do atual elenco tem tido uma postura honesta e de fibra em se empenhar nas partidas da Copa Paulista. No último sábado, o Galo goleou o XV de Piracicaba, atual líder do grupo 3,por 4 a 1 pela Copa Paulista.

“Não é fácil ficar quase dois meses sem receber, mas estamos nos empenhando para mudar esse cenário aqui no clube”. Mingotti na entrevista a Rádio Cidade fez críticas a antiga diretoria quanto ao não continuidade do projeto sócio-torcedor e afirma que o projeto para o Paulistão 2011 é fazer com que o Paulista receba uma média de cinco mil torcedores no Jayme Cintra.
Atletas do Paulista entram em greve por causa dos salários atrasados Atletas do Paulista entram em greve por causa dos salários atrasados Reviewed by Thiago Batista de Olim on 09:00 Rating: 5

Últimas - Confira!!!

PUBLICIDADE