11/05/2012

Tarallo vê grupo difícil para seleção e evita expectativa por medalha olímpica


No início da preparação para os Jogos Olímpicos de Londres-2012, o técnico Luiz Cláudio Tarallo admite que a Seleção Brasileira caiu em grupo complicado, ainda que tenha escapado dos Estados Unidos na primeira fase. Desta forma, ele evita qualquer tipo de expectativa por medalha.

Um sorteio realizado no Rio de Janeiro colocou o Brasil no Grupo A do torneio ao lado de Austrália, medalha de Prata em Pequim-2008, Rússia, bronze na China e atual campeã europeia, e Grã-Bretanha, o time da casa, além de mais duas seleções vindas do Pré-olímpico mundial.

“É um grupo realmente difícil, até porque Austrália e Rússia são duas grandes potências. Além disso, não podemos menosprezar a Inglaterra. Embora não seja um país com expressão no basquete, vem crescendo e tem um ótimo treinador. Jogando em casa, ainda conta com o apoio da torcida”, declarou.

A princípio, o terceiro e o quinto colocados do Pré-olímpico completariam a chave do Brasil e o primeiro, o segundo e o quarto seriam dirigidos para o Grupo B. No entanto, de acordo, com Tarallo, um novo sorteio definirá o destino de cada um dos cinco classificados, o que pode complicar ainda mais a vida da Seleção.

“Corremos risco de ter as duas forças do Pré-olímpico na nossa chave, podemos acabar enfrentando o primeiro e o segundo lugares da seletiva. No dia do sorteio, a Fiba (Federação Internacional de Basquete) prometeu um sorteio direcionado e estou confiando nisso. Se for um sorteio simples, a nossa chave pode ficar ainda mais difícil”, ponderou Tarallo.

A Seleção feminina do Brasil viveu seu melhor momento entre 1990 e 2000. Campeão mundial em 1994, o time nacional ainda conquistou a prata nos Jogos Olímpicos de Atlanta-1996 e ficou com o bronze em Sydney-2000. A equipe vem de um fracasso em Pequim-2008, e para Londres Tarallo evita traçar grandes expectativas.

“Em um primeiro momento, precisamos escolher 12 meninas e formar um grupo bem comprometido. Posteriormente, temos que pensar passo a passo e encarar cada jogo como se fosse uma final. O primeiro objetivo é sonhar e trabalhar não apenas para se classificar, mas para se classificar bem e facilitar o caminho”, disse o técnico quando questonado sobre a possibilidade de subir ao pódio.

Os dois princpais adversários do Brasil na primeira fase sofreram baixas importantes para os Jogos Olímpicos. Enquanto a australiana Penny Taylor teve uma lesão no tornozelo, a gigante russa Maria Stepanova contundiu o ligamento cruzado do joelho.

No período de preparação para o campeonato em Londres, o técnico Luiz Cláudio Tarallo terá a oportunidade de conhecer bem a Austrália, uma vez que a Seleção tem quatro amistosos marcados diante da equipe da Oceania. Antes mesmo do sorteio olímpico, o Brasil chegou a convidar a Rússia para um duelo, mas a adversária recusou.

Tarallo pretendia testar seu grupo de 18 jogadoras no Sul-americano, mas o campeonato acabou adiado. Em busca de amistosos preparatórios, o Brasil convidou China, Canadá e Argentina, mas todos recusaram. Até o momento, o único rival que aceitou um duelo foi o Chile.

Com parte de suas 18 pré-convocadas para os Jogos Olímpícos, Tarallo já iniciou os treinamentos em Jundiaí com trabalhos físicos e de fundamentos. A ideia do treinador é realizar cortes gradativos até reduzir o grupo apenas aos 12 nomes que serão inscritos nas Olimpíadas.

Satisfeito, ele comemora o período de quase três meses de treino e a presença de estrelas como Iziane e Érika praticamente desde o começo das atividades. “É importante todas as atletas estarem aqui o quanto antes para construirmos o trabalho juntos. Elas poderão trabalhar o físico, os fundamentos e se inserir dentro do grupo”, declarou.

Matéria: Site Superesportes/Gazeta Press
Tarallo vê grupo difícil para seleção e evita expectativa por medalha olímpica Tarallo vê grupo difícil para seleção e evita expectativa por medalha olímpica Reviewed by Thiago Batista de Olim on 02:08 Rating: 5