Thiago Batista: Paulista na Copinha foi um time sem padrão – e dentro do mesmo jogo - Esporte Jundiaí

11/01/2018

Thiago Batista: Paulista na Copinha foi um time sem padrão – e dentro do mesmo jogo


O Paulista foi eliminado de forma merecida nesta primeira fase da Copa São Paulo, sem ter somado um único ponto. E infelizmente vimos uma equipe sem o padrão tático que apresentou no Estadual sub-20 e na Copa Ouro – com suas variações, de acordo com as peças que tem, e que são necessárias no futebol. Mas o Galinho apresentou algo sem padrão tático nenhum. Na partida com o Avaí começou no 4-2-3-1 (que variava muito para o 4-1-4-1), no intervalo mudou para o 3-4-3-0, variando às vezes para o 3-3-3-1 (em nenhum momento o Paulista atuou com 3 zagueiros seja no Estadual sub-20 ou Copa Ouro) e terminou no 4-1-4-1, com zagueiro atuando como centroavante.

Isto tudo foi o que eu vi em uma única partida. O Paulista jogar sem centroavante de área eu vi durante o Estadual sub-20 e deu muito resultado. Mas não tinha visto que a equipe atuar com três zagueiros. Até que não teve tantos problemas em atuar com um Avaí com uma linha de três defensores, porque o time catarinense estava jogando com uma vontade de tartaruga, já que estavam mesmo é pensando na segunda fase.

Mas o que me assustou foi o posicionamento de alguns atletas. Victor Emerson começou a partida como lateral-direito. No segundo tempo, começou como atleta mais adiantado do Galinho, fazendo muitas das vezes o papel de centroavante. No fim da partida atuou como ala-direita (não tinha muita necessidade de marcar). Fabrício Lucchini (filho do centroavante Marquinhos Luchini, goleador no Amador) no jogo contra o Avaí começou como zagueiro, atuando pelo lado esquerdo (Evandro fazia o lado direito e Zulu – quando entrou na partida, no intervalo ficou na sobra). Mas na reta final ele jogou como centroavante.

O que menos gostei desta equipe do Galinho, foi a marcação no meio de campo durante toda a Copinha. Mordedor mesmo foi apenas Falcão, que se destacou, pois atuou por dois neste setor. Adame tentava ser um segundo marcador, mas não tem muita força física, já que a sua característica é de um ponta, que pode até atuar como armador, mas jamais como “volantão”.

Vamos esperar que o ocorreu na Copa São Paulo, pois apenas circunstancias do que num torneio de tiro curto, com um elenco curto, sem muitas variações (time tinha apenas inscrito um centroavante) e que Sérgio Caetano possa com três meses de trabalho visando o Estadual da 4ª divisão consiga mostrar um futebol que agrade o torcedor. Pois o jundiaiense não gostou nada do que viu nesta Copinha 2018.