Ex-jogador do Paulista e duas vezes campeão jundiaiense, Silvano morre aos 82 anos - Esporte Jundiaí

01/02/2018

Ex-jogador do Paulista e duas vezes campeão jundiaiense, Silvano morre aos 82 anos


Faleceu nesta quarta-feira em Jundiaí, o ex-jogador do Paulista, Silvano. A informação foi passada pelo repórter Luiz Antônio de Oliveira, o Cobrinha, na Rádio Difusora. Silvano Benedito Alves Lima, tinha 82 anos - nasceu no dia 9 de abril de 1935 em Laranjal Paulista e teve três passagens pelo time profissional do Paulista, entre 1954, 1958 a 1959 e 1962, e segundo os dados do historiador Ivan Gotardo ele marcou 12 gols em 40 jogos disputados pelo Galo, com um retrospecto de 17 vitórias, nove empates e 14 derrotas.

Em Jundiaí, Silvano também atuou no Campeonato Amador da cidade, sendo campeão em duas oportunidades: Primavera, em 1957, e pelo Juventus e em 1965. Silvano era pai de Sinésio, outro jogador que também jogou no Paulista na década de 1980. Silvano era avô de Robinho Monteiro, que ano passado atuou pelo Fut-Rap no Campeonato Amador de Jundiaí - Robinho venceu o Amador em 2010 pelo Marlene.

No campeonato de 1958, Silvano fez parte do time Tricolor que contava entre outros com o goleiro Andu, o zagueiro Martinelli, o meio-campista Pé de Valsa (ex-Fluminense e São Paulo) e tinha um poderoso ataque formado por Clive, Moacir (ex-Palmeiras), Silvano, Lero (ex-Atlético-MG) e Rodrigues Tatu (ex-Palmeiras e Seleção Brasileira).

No estado de São Paulo, jogou além do Paulista, por Botafogo de Ribeirão Preto (1958), América de São José do Rio Preto (1959), onde foi treinado por João Avelino, que lhe apelidou de Pelé do interior e em 1961, indicado pelo jornalista jundiaiense Luiz Augusto Maltoni foi jogar no São Bento de Marília, onde tornou-se artilheiro do time e do interior.

Em 1962, mudou-se com a família para o Paraná, onde foi contratado para jogar pelo Arapongas, onde ficou até 1967, quando tornou-se artilheiro do estado com 25 gols. Neste mesmo ano foi campeão paranaense pelo Água Verde de Curitiba.

Ainda em Curitiba passou pelo Britânia, transferindo-se em 1969 para o Guaruapuava, onde chegou a jogar uma partida ao lado de Garrincha. Encerrou a carreira por lá em 1971 aos 35 anos, voltando para Jundiaí, cidade que adotou para morar.


Com informações de Ivan Gottardo – fanaticopelopaulista.com.br (também fotos)