Reunião com clubes da Série B do Amador de Jundiaí pouco discute regulamento - Esporte Jundiaí

26/02/2018

Reunião com clubes da Série B do Amador de Jundiaí pouco discute regulamento



A reunião da Série B do Campeonato Amador de Jundiaí era para discutir o regulamento da competição. Mas quase em nenhum momento do encontro foi discutida as regras do campeonato. A Liga quis colocar o seu lado perante a pedidos de verba de arbitragem, situação documental, situação jurídicas nos processos que enfrenta, calendário da temporada e gastos que tem. Os clubes perguntaram sobre gastos da Liga, quem faz parte do atual momento da Liga, porque a entidade perguntou para 24 clubes na Série A em 2018 e não 18 como era inicialmente e especialmente se terão que pagar ou não a taxa de arbitragem. No fim, mesmo alguns dirigentes lendo a minuta de regulamento, quase não ocorreu o questionamento do item principal: afinal quantos times sobem da Série B de 2018 para a Série A de 2019? Coube a um jornalista (este que escreve a matéria) a pergunta ao presidente da Liga, que informou que serão quatro clubes os que sobem de divisão, ou seja, os semifinalistas do torneio, já que mesmo em minuta, não havia este item no regulamento. Também é digno de nota, que a Liga deixou para os clubes lerem o regulamento, sugerem adaptações ou inclusões no regulamento. O lado bom: a reunião durou mais de 2 horas.


Pontos falados pela Liga Jundiaiense de Futebol (todos ditos pelo presidente da Liga, Serginho Aguiar):
- A Liga Jundiaiense disse que no dia 22 de janeiro apresentou documento sobre calendário, que pediu o mínimo de 8 campos para a temporada 2018 para o futebol amador e um documento anexado para a Unidade de Gestão de Esporte e Lazer solicitando uma verba de arbitragem no valor de R$ 127.720,00 para as Séries A e B do Campeonato Amador. A Liga Jundiaiense de Futebol alega que a Prefeitura, através da Constituição, que garante saúde, educação, lazer e esporte aos seus munícipes deveria a pagar a arbitragem do Amador.
- A Liga Jundiaiense alega que pediu a verba de arbitragem e que a Prefeitura de Jundiaí não pediu nenhum documento a Liga Jundiaiense.  A Liga Jundiaiense de Futebol também disse que pediu em contra-partida assumir as competições como Aberto sub-15 e 17 ou o Regional da Prefeitura, mediante o Marco Regulatório
- Sobre a arbitragem, a Liga Jundiaiense gostaria que a Prefeitura realizasse uma licitação incluindo o Campeonato Amador, junto com as competições que a Prefeitura organiza para escolha da equipe de arbitragem, deixando a responsabilidade do pagamento para a Prefeitura
- Calendário de 2018: 1º semestre – veteranos (máximo de 20 times), máster (máximo de 12 times), Série B (36 times) e Série A (24 times); 2º semestre – Semifinais e finais das Séries A e B e Supermaster 55 (máximo 12 times)
- Liga definiu que nesta terça-feira solta a relação final de clubes participantes da Série B, sendo que todos estes participantes estão regularizados. Quem não estiver regularizado e não estiver na listagem estará fora da competição. A Liga pretende divulgar a lista às 16h desta terça-feira
- Liga Jundiaiense de Futebol está registrada em cartório depois de 28 anos (toda documentação está no 1º Cartório). Serginho Aguiar disse que falta aceita apenas o cadastro da Liga na Receita Federal, já que a entidade consta na RF em um endereço na região central de Jundiaí
- Apesar de não estar incluso no regulamento nesta 1º minuta, será incluído a obrigatoriedade de os times terem 2 dois jogadores até 23 anos.
- Liga Jundiaiense deseja que os clubes tenham CNPJ ainda em 2018 para poder arrecadar dinheiro através da Lei de Incentivo Fiscal (empresas destinariam parte do imposto aos clubes). Para isso, a Liga fará incentivos dos clubes de atualizarem seus estatutos e terem o CNPJ e para isso irá disponibilizar advogados para fazer está mudança. A entidade pretende que pelo menos 30 dos 60 participantes das Séries A e B e já façam essa adequação. Antes da 1ª rodada, a Liga enviará aos clubes um kit sobre como proceder com estas mudanças e também manual de conduta no campeonato
- Para o presidente da Liga Jundiaiense, comunicados da entidade via Whatsapp e Facebook são meios oficiais de comunicação
- O presidente da Liga Jundiaiense disse que a entidade participou de uma reunião com a Prefeitura sobre o Marco Regulatório e que a entidade foi surpreendida com a reunião com os clubes. Palavra do presidente na reunião aos dirigentes participantes. “Eles estarão querendo tirar a responsabilidade deles, e passar para os clubes”.
- Reversão de atletas profissionais será feita na Liga, o pagamento deverá ser feito na entidade e nada será feito na Federação Paulista de Futebol. Apenas 3 atletas profissionais ou ex-profissionais poderão atuar na Série B de 2018
- Romão de Souza não é liberado para o Campeonato Amador, pois segundo Serginho Aguiar, o Jamaica “dava trabalho”
- Previsão de inicio do campeonato: 2ª quinzena de abril
- No dia 27 de março, a Liga Jundiaiense irá ao Ministério Público. Segundo, Serginho Aguiar, o pedido do MP é para esclarecer sobre uma subvenção feita em 2015 pela entidade no valor de R$ 5mil. Segundo o presidente da Liga, o Ministério Público alega que esta subvenção não pode ser para cobrir gastos de arbitragem, e sim apenas energia e água, mas segundo o próprio presidente, o estatuto da Liga autoriza o uso de subvenção de verba pública para cobrir gastos de arbitragem
- Eleição do conselho disciplinar da Série B terá a participação de 3 dirigentes, juntamente com advogados da Liga Jundiaiense

Pontos questionados pelos clubes (no qual o presidente da Liga procurou responder)
- Porque a Série A de 2018 terá 24 clubes e não 18 clubes como se previa. Presidente da Liga disse que os clubes que haviam sido “chamados” no lugar dos times inicialmente excluídos poderiam permanecer, pois tinham dinheiro, mesmo como “suplentes”. Clubes que questionaram não se convenceram com os argumentos do presidente da Liga
- Clubes questionaram se terão que pagar a taxa de arbitragem em 2018. O presidente da Liga Jundiaiense de Futebol disse que a responsabilidade é da Prefeitura, pois eles prometerem. Neste momento da reunião, Serginho Aguiar pediu apoio dos clubes quando conversarem com gente da política, e não trocar qualquer voto por um apoio político, e que os clubes sejam unidos por este apoio político
- Equipes perguntaram se haverá premiação em dinheiro aos melhores do campeonato, e a entidade disse que não, apenas haverá premiação em troféus e medalhas aos dois primeiros da Série A
- Perguntado sobre quem faz parte da atual administração da Liga e seu organograma, Serginho Aguiar, presidente da Liga Jundiaiense, disse que 7 pessoas fazem parte da administração da entidade neste momento e que pelo estatuto até 28 pessoas fazem parte da Liga. Mas será votado uma mudança no estatuto ainda este ano, onde serão eleitos um conselho até 5 pessoas, todos com mesmo poder de voto, e o presidente somente exercerá seu poder de voto, em caso de empate no conselho
- Clubes perguntaram sobre punições a brigas que ocorrerem: caso seja atleta ou atletas apenas que participem, somente jogadores serão suspensos, caso um dirigente participe de uma briga, o clube do dirigente que participou o ato será excluído do torneio
- Equipes perguntaram se a Liga Jundiaiense não poderia enviar um representante a cada campo, em todas as rodadas. Serginho Aguiar, presidente da Liga, disse que os diretores da entidade estão conversando sempre com os árbitros, auxiliares e anotadores a todo momento da rodada, quando algum problema ocorre
- Súmulas para conferência na internet: Liga Jundiaiense não irá disponibilizar, pois segundo Serginho Aguiar, este tipo de documento não deve ser exposto. Liga Jundiaiense deixou claro que a responsabilidade do controle dos cartões será dos clubes e não irá informar o controle de cartões.