Liga Jundiaiense "não aceita" carta de licença do Estrela e tentará ajudar clube a jogar o Amador - Esporte Jundiaí Esporte Jundiaí: Liga Jundiaiense "não aceita" carta de licença do Estrela e tentará ajudar clube a jogar o Amador

10/03/2018

Liga Jundiaiense "não aceita" carta de licença do Estrela e tentará ajudar clube a jogar o Amador



A Liga Jundiaiense de Futebol não aceitou a carta de licença que a diretoria do Estrela da Ponte iria protocolar na entidade neste sábado, e tentará ajudar o clube a atuar no Campeonato Amador da Série A, em 2018. O clube na última quinta-feira havia anunciado que não disputaria a competição, mas diretores do clube já começaram novamente os trabalhos para tentar colocar o clube no Amador nesta temporada e não parar um trabalho de 50 anos. Segundo o presidente da Liga, Serginho Aguiar, a Liga colocará um grupo de advogados para tentar de maneira legal destravar os problemas que o clube tem em relação a sua sede.

“Pedi aos diretores do Estrela, o Altevir Ceccato e o Márcio Amadi refletir melhor e que se o problema for apenas a questão da sede, onde eles usam para arrecadar com festas e eventos para manter o time, a Liga colocará advogados dela, para ajudar a resolver”, contou, em contato com a reportagem do Esporte Jundiaí na tarde deste sábado. “O Estrela tem fichas de jogadores e a gente tem prazos para que isso ocorra. Pedimos então para eles (Estrela) refletirem melhor. A gente fará um esforço, ajudar um pouco, auxiliar, juntar forças no que puder até porque o Estrela é um clube filiado a Liga”, completou o presidente da Liga.

O presidente do clube confirmou a conversa com o presidente da Liga, mas que entregou a carta na Liga. “A gente tem advogado. Mas todo apoio é bem-vindo. Conversamos com a Liga. Eles protocolaram a carta, e deixou aqui separada. E alguns times que não aceitam a nossa saída”, contou o presidente do Estrela, Altevir Ceccato. “A gente está saindo por uma questão financeira, mas se reverter a situação continuaremos e disputaremos com maior prazer”, contou. “Hoje o Estrela pararia. Mas se tiver uma situação para a gente disputar, a gente volta com a maior lealdade e honestidade”, completou.