Tiro com arco: Participante do Rio-2016 quebra marca pessoal e fica próximo do recorde nacional - Esporte Jundiaí

12/03/2018

Tiro com arco: Participante do Rio-2016 quebra marca pessoal e fica próximo do recorde nacional



No último domingo, o complexo esportivo Dr. Nicolino de Lucca, mais especificamente no ginásio do Nenho (nome oficial do Anexo do Bolão) recebeu a segunda etapa do Campeonato Paulista de arco e flecha indoor – o tiro com arco em locais fechados, que valeu também para a primeira etapa do Campeonato Brasileiro. Entre os participantes, estava Marina Canetta, do Círculo Militar, que participou dos Jogos Olímpicos do Rio-2016, na modalidade outdoor – que é a única que ocorre na Olímpiada. E a atleta natural de São Paulo por muito pouco não bateu o recorde brasileiro na modalidade indoor. Ela marcou 574 pontos na segunda etapa, vencendo a disputa do feminino adulto no arco recurvo. Ela ficou a dois pontos de igualar o recorde brasileiro, que é de 576 pontos. Ela comemorou bastante o resultado que obteve.


“Estava nervosa. Eu sabia que tinha batido o meu recorde pessoal, que era de 570 pontos, mas não sabia que poderia bater o recorde brasileiro e que fiquei por pouco”, contou. Ela venceu a disputa com 68 pontos de vantagem para a segunda colocada, Camila dos Santos, atleta também do Círculo Militar.


A atleta de 28 anos, perguntada sobre como foi a experiência de disputar os Jogos Olímpicos, conseguiu resumir em poucas palavras o seu sentimento. “Foi do c.....”, disse. “É um momento único, com sua família assistindo. É um evento muito grande”, completou a atleta, que é 3º Sargento da Aeronáutica.


Marina Canetta elogiou muito a estrutura de Jundiaí para a competição. “Estrutura muito boa, que atende a gente nas necessidades para uma competição indoor. A iluminação aqui é muita boa, o que não é muito normal. Somente falta um banheiro aqui embaixo”, disse a atleta, sobre uma reclamação recorrente de quem utiliza o completo do Bolão, e sente falta de toaletes no ginásio do Nenho, na parte inferior do Bolão (inclusive o repórter que escreve está matéria também sente falta).