#4ªDivisão – Cabeça ao Cuadrado! Bola parada resolve e Paulista vence na abertura da 2ª fase - Esporte Jundiaí

14/07/2018

#4ªDivisão – Cabeça ao Cuadrado! Bola parada resolve e Paulista vence na abertura da 2ª fase



Pode não jogar bem. Pode não estar no melhor dia para criar as jogadas. Mas o que mais importa no futebol não é estar bem, e sim marcar estar bem-disposto taticamente e anotar um gol a mais que o rival. O Paulista conseguiu segurar o Bandeirante de Birigui, e mesmo em um sábado de pouca inspiração, venceu o rival por 1 a 0, no estádio Jayme Cintra, pela abertura da segunda fase do grupo 8 da 4ª divisão do Campeonato Paulista. Um gol anotado por Cuadrado, de cabeça, em jogada de bola parada foi o suficiente para o Paulista. Uma vitória também na base da raça, já que o Galo jogou por mais de 50 minutos com um atleta a menos – o Tricolor de Jundiaí terminou a partida com 9 atletas contra 10 do clube de Birigui.


Pouco funcionou
No primeiro tempo a formação do meio-campo do Paulista com Natham aberto na direita e Zulu como protetor da zaga pouco funcionou. O Paulista pouco criou pelos lados do campo. Em alguns momentos o zagueiro Papaleguas subia para o ataque pelo lado esquerdo para ajudar Ian, com Zulu recuando para funcionar como zagueiro. Cuadrado esteve em uma tarde pouco inspirada, como também os dois meias que atuam por dentro – Carlinhos Alexandre e Rafael Sena.


Pequenas discussões no campo e Paulista fica com dez no primeiro tempo
Na reta final do primeiro tempo, o clima dentro de campo foi esquentando, com duas pequenas discussões no campo, e também as disputas pela bola cada vez mais forte. Até mesmo entre gente do banco de reservas (Vinicius Fleck ganhou amarelo mesmo estando entre os suplentes no time jundiaiense). 

Em uma das discussões, aos 33 minutos, Carlinhos Alexandre recebeu o cartão amarelo. Nove minutos depois, Carlinhos foi tentar matar um contra-ataque e pegou pesado demais no adversário e recebeu o cartão vermelho. O Galo jogou por 50 minutos com um atleta a menos em relação ao Tricolor de Birigui. Detalhe: o primeiro tempo teve 10 faltas (6 do Paulista, 4 do Bandeirante). No intervalo, por reclamação a arbitragem, o preparador de goleiros, Pereira foi excluído da partida.  

Bandeirante começa melhor
O time de Birigui começou dominando o meio campo e criando as melhores oportunidades de gol. A mais perigosa foi aos 15 minutos, que o goleiro André Luís fez boa de defesa. O Paulista chegou com perigo o gol aos 19 minutos, em finalização fraca de fora da área, de Carlinhos Alexandre.

Bola parada resolve
Se não vai na técnica, que seja na bola parada. Carlinhos Alexandre cobrou falta na meia-direita, na cabeça de Cuadrado, que bem posicionado na primeira trave, subiu mais alto que todo mundo, e como de manual, cabeceou de cima para baixo e fez o primeiro gol do jogo – 1 a 0, Paulista.

Imagens: TV FPF / TV Conquista - Narração: Alysson Drycz



Duas linhas de quatro no segundo tempo funcionou
Com 10 jogadores por todo o segundo tempo, Sérgio Caetano tratou de reposicionar o Galo, sem mudar as peças inicialmente. Montou o time com duas linhas de quatro – sendo que no meio campo, Zulu e Natham atuando mais por dentro, com Rafael Sena (depois Pablo) e Cuadrado se posicionaram pelas pontas. E o esquema funcionou, já que o time não sentiu o peso de ficar com um a menos em relação ao BEC, e levou mais perigo que o adversário.


Bike para animar o segundo tempo
O atacante Jonathan Brito quase marcou um gol digno de Copa do Mundo no começo do segundo tempo. Ele conseguiu dar uma bicicleta dentro da grande área e a bola somente não entrou, pois Douglas Baldini fez grande defesa. No rebote, Cuadrado mandou para fora. E mesmo com 10 jogadores o Galo criava, especialmente pelas pontas. 

Aos 11, Léo Fernandes cruzou e Cuadrado quase marcou o seu segundo gol de cabeça, exigindo boa defesa do goleiro Douglas. Após 15 bons minutos no segundo tempo, o Paulista tratou de dar a bola para o BEC, fechando os espaços.

Expulsões no segundo tempo
China e Natham trocaram discussões, xingamentos e terminou com troca de empurrões e agressões de ambos, que foram expulsos aos 35 minutos do segundo tempo. Resultado: o Paulista terminou a partida com nove jogadores e o Bandeirante com dez atletas. Aos 44, o goleiro André Luis salvou o Tricolor de Jayme Cintra, ao fazer grande defesa em chute de Matheus Aquino. No apito final do árbitro, festa pelo Galo começar a difícil segunda fase com vitória. Foi a primeira derrota do time de Birigui como visitante na temporada. 


Ex-treinadores presentes
No estádio Jayme Cintra, nas numeradas ex-treinadores do Paulista estavam presentes: Stélio Metzker (dirigiu o Galo na Copa Paulista de 2016) e Umberto Louzer (dirigiu o Tricolor na Copa SP de 2017 e três partidas na Série A-3 de 2017). Também estavam o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Elizeu Silva Costa; e o ex-secretário de Esportes por oito anos, Alércio Borelli – que faz parte do conselho do clube.


Seis torcedores visitantes em Jayme Cintra
Entre os presentes no Jayme Cintra, estiveram seis torcedores do Bandeirante. Entre eles, Juarez Silva, o Birigui. Ele que tem 47 anos, há 12 anos mora em Campinas, e sempre quando o BEC joga próxima a região campineira ele procura ir ao estádio ver seu time de coração. “Procuro acompanhar quando a Federação transmite os jogos ou no estádio. Sempre estou junto”, contou o torcedor que chegou a Jayme Cintra, uma hora antes do início da partida.

Situação do grupo 8


Ficha técnica

Substituições
Paulista: Pablo no lugar de Rafael Sena, Wallace no lugar de Jonathan Brito, Vinicius Fleck no lugar de Léo Fernandes
Bandeirante: Douglas Valle no lugar de André Junior, Pedrinho no lugar de Lucão, Juninho no lugar de Rã

Gols
Cuadrado, aos 39min (1-0)

Cartões amarelos
Paulista: Vinicius Fleck (no banco), Léo Fernandes e Pablo
Bandeirante: Lucão

Cartões vermelhos
Paulista: Carlinhos Alexandre, aos 42min (por 2º amarelo) e Natham, aos 80min (forma direta)
Bandeirante: China, aos 80min (forma direta)

Público e renda
926 pagantes e R$ 5.564,00