#Futebol - Um artilheiro furioso na Série A do Campeonato Amador de Itupeva - Esporte Jundiaí

25/08/2018

#Futebol - Um artilheiro furioso na Série A do Campeonato Amador de Itupeva



O artilheiro da Série A do Campeonato Amador de Itupeva tem pinta de marrento, joga num time chamado Fúria Negra e já deixou a marca que poucos conseguiram - inclusive no futebol profissional: fazer três gols numa partida de estreia da competição. Aos 27 anos, Alessandro Moretto, do Fúria, diz que veio para fazer o que mais gosta: jogar futebol e, junto com os demais companheiros, levar a equipe ao título da temporada.

O perfil é de jogador moderno, com tatuagens e barba por fazer. O jeitão serve, também, para não dar moral aos zagueiros adversários - estratégia de alguns atacantes para demarcar território e afugentar os defensores nas disputas mais acirradas.

O gosto musical é típico, também, quando responde qual canção escolheria no Fantástico - o programa da TV Globo premia desta forma os jogadores que marcam três gols numa mesma partida do Brasileirão. “Livre para voar, do Exaltasamba”, brincou o goleador.

Fã de Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo Fenômeno, o catarinense não poupou elogios a outro craque: Adriano Imperador: “Até pelas características que temos em comum, no estilo de jogo. Ele é muito bom dentro de campo, mas acabou desandando”, avaliou o torcedor do São Paulo, que também não escondeu um carinho especial pela Chapecoense.

Fora de campo, ele já se diz vencedor. Morador de Itupeva há três anos, veio para cá por conta do trabalho e se diz “abraçado” pelo time e pela cidade. Casado com Ana Cláudia, o artilheiro comemora a chegada da primeira filha. “A Valentina está prestes a nascer. Os três gols da primeira rodada já são uma homenagem para ela”, revelou, orgulhoso

O apoio da esposa e da família, inclusive, tem sido fundamental para Moretto, que diz “jogar desde que se conhece por gente”. Nascido em Concórdia, cidade do oeste de Santa Catarina com pouco mais de 70 mil habitantes, ele se formou em Logística e atua numa transportadora.

O atacante tentou carreira no futebol, com testes em clubes como os arquirrivais Bahia e Vitória, mas não se profissionalizou. “Eu respiro futebol, faz parte da minha vida. Jogo sempre que posso. Comecei como meia e, com o tempo, me adaptei no ataque”.

Para ele, que é chamado de Alemão pelos amigos, o Fúria também se tornou fundamental. “Nossa filosofia é que no Fúria somos uma família, levamos muito a sério a questão da amizade”, apontou.

Planos
Mesmo com uma contusão no joelho que o tirou de algumas partidas, Moretto foi o artilheiro do time, ano passado, com seis gols marcados. Na atual temporada, já mostrou que está plenamente recuperado e pronto para ajudar a equipe.  O jogo de estreia contra o Sampaio Correa, inclusive, foi um reencontro. O adversário foi o mesmo da semifinal de 2017, em que o Fúria Negra levou a melhor nas disputas de pênalti e chegou à decisão do título da Segunda Divisão - conquistado pelo Liverpool, da mesma forma.

A atuação dele na estreia rendeu elogios do treinador, Abelson Franco, que levou o time à final do ano passado e já almeja voos maiores em 2018. “Estamos com objetivo de buscar o título e, sem dúvida, os gols do nosso artilheiro serão fundamentais”.

Para isso, o técnico conta com reforços tanto na comissão técnica quanto no elenco, formado ainda pelo ex-profissional Alexander França - que atuou no Bragantino. Animado com a boa estreia no campeonato, Moretto demonstrou confiança nesta temporada, mas achou difícil fazer qualquer previsão. “O bicho vai pegar!”, afirmou. A única certeza, no entanto, é que nas arquibancadas ele terá, agora, uma pequena admiradora na torcida pelo sucesso do "artilheiro furioso". A segunda rodada da Série A será dia 2 de setembro.