#FutebolAmador – Mais uma vez o Amador do Estado não contará com equipes da região - Esporte Jundiaí

20/08/2018

#FutebolAmador – Mais uma vez o Amador do Estado não contará com equipes da região



A Federação Paulista de Futebol divulgou nesta segunda-feira a tabela completa e o regulamento da edição de 2018 do Campeonato Amador do Estado de futebol amador. E repetindo o que ocorre nos últimos dez anos, a região jundiaiense não terá nenhum representante na competição. As Ligas Itatibense e Jundiaiense de Futebol poderiam indicar pelo menos um filiado a partir do campeonato, mas não o fizeram.

Ao todo, serão 22 times na disputa, em busca do campeonato amador mais importante do Estado de São Paulo. O campeonato sempre será no estilo playoff – com jogos de ida e volta. Da 1ª para a 2ª fase, além dos 11 vencedores dos playoffs, os cinco “melhores” perdedores também avançam de etapa. A partir das oitavas de final, quem perder estará realmente eliminado.

A competição terá representantes das Ligas Amadoras de Jales, Votuporanga, Lins, Assis, Jaú, Santa Ernestina, Cravinhos, Cristais Paulista, Brodowski, São José do Rio Pardo (dois clubes), Santa Rosa de Viterbo, Mogi das Cruzes, São José dos Campos (três clubes), Bragança Paulista, São Bernardo do Campo, Itu (dois clubes), Suzano e Guarulhos. Ou seja, apenas 18 ligas amadoras das 56 filiadas na Federação Paulista estarão participando da competição.

A competição
O Campeonato Amador do Estado de futebol amador começa no dia 9 de setembro. As finais estão previstas para 4 e 11 de novembro. A formação das chaves na primeira fase ficou da seguinte maneira:
Grupo 1 – Jalesense (Jales) x SEV (Votuporanga)
Grupo 2 – Linense (Lins) x Guarani (Assis)
Grupo 3 – Cruzeiro do Sul (Jaú) x Santa Ernestina (Santa Ernestina)
Grupo 4 – Cravinhos (Cravinhos) x Rose’N Boys (Cristais Paulista)
Grupo 5 – Bandeirante (Brodowski) x Coffee The Morning (São José do Rio Pardo)
Grupo 6 – Santa Rosa (Santa Rosa de Viterbo) x Vasco (São José do Rio Pardo)
Grupo 7 – Arena (Mogi das Cruzes) x Atlético Mineiro (São José dos Campos)
Grupo 8 – Jardim do Lago (São José dos Campos) x Ferroviários (Bragança Paulista)
Grupo 9 – Nacional da Vila Vivaldi (São Bernardo do Campo) x São Paulo (Itu)
Grupo 10 – Botafogo do São José (Suzano) x Eugênio de Melo (São José dos Campos)
Grupo 11 – Presidente Dutra (Guarulhos) x Pedra Branca (Itu)

Pelo regulamento, ganha sempre o confronto, o time que no agregado dos dois jogos se sair o vencedor. Caso o agregado termine em empate, a definição do classificado (ou do campeão – no caso da final) será nos pênaltis. Os atletas deverão ser registrados, para a primeira rodada da competição, no Departamento de Registro da FPF até o dia 29 de agosto, permitindo-se registros adicionais até o dia 26 de setembro. A competição é limitada para 35 atletas para cada equipe.

Os clubes deverão utilizar atletas nascidos até o ano de 2001 (é vetado a participação de atletas que tenham 16 anos ou completem 16 anos em 2018). Para a transferência de um atleta para outro clube é obrigatório a devolução do cartão do atleta e o documento de liberação do clube e da Liga. Cada Clube poderá efetuar até cinco substituições por partida nos jogos.

Na competição, Oo Clube que deixar de comparecer a qualquer partida (w.o.), salvo motivo justificado e assim reconhecido pela Federação Paulista de Futebol, será excluído da competição e responderá pelos prejuízos financeiros que causar aos seus adversários, independente das demais sanções de competência da Justiça Desportiva.

História da região na competição
Apesar de estar ausente em 2018 – como ocorreu nos últimos 10 anos, a região de Jundiaí tem uma bela história na competição. Hoje clube profissional, o Paulista foi vice-campeão por duas vezes – 1919 e 1921 – sendo sempre campeão do interior e na final sendo superado pelo Paulistano (5 a 4 na edição de 1919 e 6 a 3 na edição de 1921).

Em 1920, o Corinthians Jundiaiense (hoje extinto) levou o título de campeão amador do interior (eliminado o Paulista nas quartas de final – 2 a 1) e depois foi vice-campeão estadual – e foi segundo no “tapetão”. A equipe de Jundiaí venceu o Palestra Itália (atual Palmeiras) por 3 a 1 mas não levou a taça, a APEA (a federação da época) considerou a partida amistosa devido à inclusão irregular de Pedro Grané no Corinthians (ele atuava no Ypiranga), e a entidade deu a taça ao clube de Parque Antártica.

Nos anos 90, foi Itatiba que fez bem representar a região na competição, com o Bandeirante, que terminou em terceiro lugar por duas edições consecutivas – 1991 e 1992 e depois sendo vice-campeão em 1993. Ainda no século 20 – no ano 2000, o Estrela da Ponte conquistou um título de bastante status: o Metropolitano, mas este não era organizado pela Federação Paulista de Futebol.