#Futebol – Presidente do grupo Kah Sports explica como foi a conversa com o Paulista - Esporte Jundiaí

10/09/2018

#Futebol – Presidente do grupo Kah Sports explica como foi a conversa com o Paulista



Um dos sócios da Kah Sports (são três sócios no grupo), Hikmat Derbas procurou a reportagem do Esporte Jundiaí, na noite desta segunda-feira, para mostrar o posicionamento do grupo sobre a possível parceria que o grupo pretendia montar com o Paulista, mas que não deverá ser concretizada, conforme noticiou o Esporte Jundiaí no último sábado (clique aqui para ler a matéria publicada no sábado).

Sobre a parceria
“Não queríamos ter 100% do controle do futebol do clube. Fizemos 4 reuniões em duas delas com o nosso jurídico e queríamos trazer o nosso conhecimento de futebol para dentro do Paulista como se fosse uma empresa onde a sua despesa não pode ser maior que a sua receita. A ideia era que em conjunto o Paulista delegaria uma pessoa de total confiança para trabalhar com um dos sócios e assim ambos tocar o futebol sem ter interferência externa, até porque o futebol é muito dinâmico exige decisões rápidas e inteligentes”.

Quando começou e como foram as negociações
“Queríamos fazer uma gestão totalmente profissional. Fizemos uma proposta para o clube e ficaram de nos dar uma resposta no final de julho. As pessoas responsáveis pelo clube simplesmente não nos procuraram mais e vimos a saber através de outras pessoas que estão em negociação com o grupo chinês”, contou Hikmat.

Como ficaram sabendo da desistência
“Agora jogar a culpa encima de algo que nunca aconteceu não é correto. Tínhamos convicção que iríamos fazer um grande trabalho, o Paulista é um clube centenário com uma história linda e uma torcida apaixonada. Iriamos despertar esse gigante que é o Paulista. Infelizmente não ocorreu como prevíamos, desejamos toda sorte do mundo ao Paulista e que seja quem for que esteja à frente do clube faça voltar àquele time vencedor é temido onde for jogar”, completou.

Notícia sobre possível fechamento do clube (dita por diretores do clube)
“O trabalho que seria feito no Paulista está sendo feito com o Fortaleza. Passou muito tempo e ninguém veio nos dar uma satisfação, e dai eu vejo a matéria falando que não vão fechar sendo que não fomos comunicados. Uma tremenda falta de respeito. Fomos saber pela imprensa o que não estávamos mais nos planos deles. Não custava nada pegar o telefone e nos comunicar. Fomos 4 vezes até Jundiai para reuniões, e eles nem se preocuparam em mandar um e-mail dizendo que não fecharia conosco. Até sair a matéria não sabíamos que estávamos descartados”

O que falariam sobre o clube
“Se estivéssemos no controle isso jamais aconteceria. Pelo contrário usaria o espaço para falar bem do time, trazer o torcedor para o estádio e buscar patrocínios. E não fazer tudo errado como foi feito e que caiu como uma bomba na cidade. E olha que eu fui em quase todos os jogos, acompanhei de perto, com postagens nas nossas redes sociais”