Goalball - Técnico jundiaiense fala sobre planejamento para 2020 - Esporte Jundiaí

25/09/2018

Goalball - Técnico jundiaiense fala sobre planejamento para 2020



Com o sentimento de dever cumprido, a seleção brasileira masculina de goalball vai encarar o último compromisso de 2018 num ano para lá de vitorioso. E para fechar com chave de ouro, os bicampeões mundiais terão pela frente o Desafio Internacional de goalball no Centro de Treinamento, em São Paulo, desde a última segunda-feira, até quarta-feira.

O selecionado brasileiro se apresentou na última terça-feira, 18, para a quinta fase de treinamento. Durante a etapa, a seleção recebe aas seleções do Canadá, Chile e Estados Unidos para a disputa do torneio. Para o técnico jundiaiense Alessandro Tosim, o evento será importante para testar novos atletas já pensando nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019 e nas Paralimpíadas de Tóquio 2020.

“O primeiro ponto importante é a fase de treinamento, onde nos manteremos treinando no segundo semestre. O segundo é o confronto com seleções tradicionais como os EUA e Canadá, já que ambas estão renovando seus atletas, sendo fundamental estar em contato com essas seleções e competindo. Esta competição é para testar os mais jovens e estarmos fortalecidos para os dois próximos anos, quando teremos os Jogos Parapan-Americanos e as Paralimpíadas”, disse Tosim.

Ao longo de 2018 o Brasil participou de dois campeonatos. O primeiro deles foi a Malmö Cup, quando se sagrou campeão sobre a Alemanha, no mês de abril. Dois meses depois os brasileiros alcançaram o principal objetivo, ao conquistar o bicampeonato mundial em nova vitória sobre os alemães, também na cidade sueca.

“O primeiro semestre foi de muito trabalho, mas atingimos nosso objetivo, que era sermos campeões mundiais. A nossa seleção é muito forte e os atletas assumiram uma postura de protagonismo no goalball mundial”, destacou o treinador.

Desde o início do ciclo dos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, o Brasil participou de três competições e conquistou todos os títulos. A seleção levantou os troféus do Campeonato Mundial e da Malmö Cup, ambos na Suécia, este ano, e no ano passado ficou com o ouro do Campeonato das Américas, disputado em São Paulo. Os resultados colocam o goalball masculino brasileiro como um dos candidatos ao primeiro lugar das próximas Paralimpíadas e o técnico não esconde que esse é o principal desejo.

“Obviamente que o trabalho dos atletas e comissões técnicas é fundamental para o sucesso, mas sem o trabalho dos dirigentes nada seria possível. A nossa meta é conquistar o ouro em Tóquio e para isso teremos muito trabalho, empenho e amor pelo goalball. Se não unirmos estas palavras nada se concretiza”, frisou Alessandro.