Header AD

25 de novembro de 2018

Entrevistão - Vandinho - presidente do Camaradas Vila Arens



Vandinho é o atual presidente do Camaradas Vila Arens, que nos últimos dois anos foi vice-campeão do Campeonato Regional de futebol. Mas sua carreira no futebol não começou agora. Em 97, disputou a Série A do Campeonato Amador de Jundiaí pelo Juventude do Tarumã - como goleiro - posição que ele as vezes ainda atua. Depois parou com o Amador, e ficou jogando futebol apenas como lazer com os amigos, disputando torneios de society na região jundiaiense e em São Paulo. Retornou ao futebol amador no Campeonato Regional, competição que participa desde a 1ª edição. Mas além da sua carreira nos campos, também foi administrador de centros esportivos. E ele no ENTREVISTÃO DO ESPORTE JUNDIAÍ, deste domingo, aborda mais detalhes sobre o futebol e o esporte jundiaiense.

Esporte Jundiaí: Como é ser presidente de um clube de futebol amador? Porque?
Vandinho: Ser presidente do Camaradas é muito gratificante, tenho uma diretoria top demais, Pará, Felipe, Boy, Alex, Mexicano, Rafael, Allan, Jaílson e o Igor, uma família que se preocupa e gosta de mais do Camaradas.


EJ: Mais fácil ser goleiro ou presidente? E porque é mais fácil?
Vandinho: Como disse la em cima, com essa diretoria fica fácil ser presidente, ser goleiro a pressão é bem maior, porém, quando gostamos também fica fácil.

EJ: Como é a semana de um presidente de clube de futebol amador?
Vandinho: A semana é corrida nos bastidores, sempre se preocupando com alguma coisa e bolando algumas coisas para a equipe.


EJ: O que mais irrita um presidente de clube de futebol amador?
Vandinho: Acho que o que mais irrita é a derrota e eu particularmente não aceito (risos) e quando vem outros times e oferecem dinheiro para levar seus jogadores.

EJ: Como o presidente de uma equipe tem que tratar com os jogadores?
Vandinho: Acho que para mim que jogo junto com eles, tudo é de igual pra igual, temos jogadores educados de boa família, graças a Deus nunca tivemos problemas. Respeite para ser respeitado, fica simples.


EJ: Existe ética no futebol amador? Porque?
Vandinho: Etica? Acredito que com algumas equipes sim, mas várias não existe não, como disse lá em cima, quando outra equipe chama seu atleta e oferece dinheiro, já acabou a ética e o futebol amador, aí vira um semiprofissional entre aspas pagou deixa de ser amador. Amador joga porque gosta.

EJ: Você participa desde a 1ª edição do Campeonato Regional? Esperava o crescimento do torneio em 6 anos?
Vandinho: Eu participo desde de a 1a edição, eu esperava e espero muito crescimento do campeonato sim. Pelo projeto do campeonato, que é muito bom, pela organização da prefeitura e seus organizadores, que sempre se dedicam ao máximo para o campeonato ser bem organizado. No meu ponto de vista, esse é o verdadeiro amador, todos jogam porque gostam e não visam dinheiro, até porque o campeonato não tem custo nenhum e jogamos para ganhar um troféu.


EJ: Como nasceu a ideia do Camaradas?
Vandinho: O Camaradas nasceu de futebol entre amigos, no dia 15/08/2013 (feriado de Jundiaí). E todo final de semana juntávamos uma turma e jogávamos em campo grande, foi quando decidimos montar um time para jogar o primeiro Campeonato Regional. De lá para cá, só foi crescimento.

EJ: Porque o Camaradas bateu na trave nos últimos dois anos para conquistar o título?
Vandinho: Porque batemos na trave nos últimos dois anos? Acredito que porque não era para ser, nos dois anos tínhamos uma ótima equipe, porém, não veio. Está próximo, tudo tem a hora certa.


EJ: O que sonha com o Camaradas? Onde acha que ele pode chegar?
Vandinho: Sonhamos o que toda equipe amadora sonha, ganhar títulos, crescimento e respeito como time. Estamos bem próximos disso tudo, mas acima de tudo, o espirito esportivo e a diversão de entre aspas jogar nosso futebol final de semana isso acredito que seja o principal.

EJ: Você foi administrador de centro esportivo? Quais eram os prazeres e desprazeres da profissão?
Vandinho: Fui administrador do centro esportivo Romão de Souza do início de 2013 ao final de 2016. Trabalhar com isso foi uma experiência muito prazerosa, trabalhar com o esporte, que é o que amo, e com equipes fantásticas, que tínhamos lá era bom demais. Sai com sentimento de dever cumprido, cuidava do Romão como se fosse minha casa.


EJ: Como era cuidar do gramado do Romão de Souza?
Vandinho: Cuidar do gramado do Romão? (risos). Cuidava como se fosse meu quintal de casa, cansava nada, passava o dia todo lá, se fosse necessário, o gramado lá sempre foi bom, era administrar para manter, porém conseguimos deixa-lo ótimo. Quando saí de lá estava.

EJ: Cansava ouvir reclamações que o gramado do Romão era ruim?
Vandinho: No início sim. Tínhamos bastante reclamação, conforme fomos trabalhando e melhorando, automaticamente as reclamações pararam e começaram os elogios, o que era muito gratificante.


EJ: Treinador no futebol amador tem que ser estilo mais paizão ou tem que entender de tática? E porque?
Vandinho: O treinador tem que ter um pouco de cada. Lidar com futebol não é fácil, pessoas então, a pressão no treinador é grande, infelizmente isso é do Brasil, entre aspas é tudo é culpa dele.

EJ: Você foi líder de torcida organizada em Jundiaí - da Mancha Verde. E possível apenas pessoas do bem fazerem parte de torcida organizada?
Vandinho: Fiz parte por alguns anos da torcida, acredito que sim, falando pela Mancha Verde de Jundiaí, só tínhamos pessoas boas. Selecionávamos bem. Agora falando de nível Brasil, na verdade, as que não são do bem são a minoria. A diretoria infelizmente não consegue controlar tudo, hoje é muito fácil uma pessoa comprar uma camisa da torcida, as vezes até pirata, sair brigando por aí com a camisa, aí já generalizam.


EJ: Acredita que algum dia terá união o futebol amador de Jundiaí, ou teremos muitos remos, e cada um querendo puxar para o seu lado?
Vandinho: Esse é o problema, cada um vê o seu lado, não sei se um dia isso acaba.

Rapidinho
Qual time torce no futebol:  Palmeiras
Torce por algum outro time/atleta ou outra modalidade: Paulista de Jundiaí / Camaradas
Um ídolo no esporte: São Marcos
Um ídolo fora do esporte: Meus pais
Comida favorita:  Churrasco
Bebida número 1: Cerveja
Qual outro esporte, fora o seu, gosta de acompanhar: MMA
O que detesta fazer, mas faz: Pagar contas
Um sonho: Um Brasil honesto
Exemplo de beleza: Minha mulher
Estilo musical que gosta: Sertanejo
Estilo musical que detesta: Funk/ Forró
Uma música: Boate Azul
Estilo favorito de filme: Ação / Comédia
Gosta de ler: Romance
Que tipo de notícia não gosta de ouvir, ler ou assistir: Desgraças
Família é: A base de tudo
Vida é: Alegria


EJ: Se pudesse falar apenas uma frase, ao presidente do Brasil, o que diria?
Vandinho: Por favor Seja Honesto, o povo brasileiro merece....

EJ: Uma história boa que ocorreu com você no futebol?
Vandinho: Quando fui jogar uma final de campeonato em São Paulo, fazia duas semanas que tinha rompido o ligamento do joelho e acabamos ganhando o jogo de 4 a 2, e a torcida de fora achava que eu estava fazendo cera. Foi engraçado eles me xingando, depois que acabou o jogo vieram me parabenizar, ai falei que estava com ligamento rompido e não tinha goleiro reserva.. Ai me pediram desculpas (risos) 

EJ: Para finalizar, qual a música para ouvir hoje?
Vandinho: Zé Henrique e Gabriel - Dona do Meu Destino


Entrevistão - Vandinho - presidente do Camaradas Vila Arens Entrevistão - Vandinho - presidente do Camaradas Vila Arens Reviewed by Thiago Batista on 10:00 Rating: 5