Header AD

7 de junho de 2019

Futebol feminino: Jundiaí e região esperam aumento de praticantes com a Copa


a

Começa nesta sexta-feira a Copa do Mundo feminina de futebol, com a partida entre as donas da casa, a França contra a Coreia do Sul, a partir das 16h. O Brasil começa a sua caminhada no domingo, quando enfrenta a Jamaica, às 10h30. A competição no país está com grande visibilidade. Pela primeira vez, duas emissoras abertas irão transmitir a competição, especialmente os jogos do Brasil (Globo e Band), além de uma emissora fechada (SporTV). Atletas e treinadoras do futebol feminino de Jundiaí e região esperam aumento no número de praticantes, com a visibilidade que a competição terá.

Gerlândia e Tatisa Zonaro lutam pelo futebol feminino na região jundiaiense

“Com a repercussão da Copa do Mundo, tenho tido um número muito grande a procura por treinar e por incrível que pareça por meninas muito novas. Vejo como uma boa repercussão inclusive por neste momentoe  os clubes estarem montando a base que foi uma imposição para que assim inicie o trabalho e novos talentos apareçam”, contou a treinadora de Várzea Paulista, Gerlândia Oliveira.


“É uma tremenda oportunidade de mostrar ao mundo que o futebol feminino também merece todo o respeito e apoio. Era essa a oportunidade que faltava, sabemos que a televisão brasileira em especial a Rede Globo tem um enorme número de telespectadores e isso sem dúvida alguma trará um repertório maior para um espetáculo que está por vir. Tenho certeza que depois da Copa pode muita coisa mudar! E que comece pelo respeito”, contou Ingrid, atleta do Time Jundiaí.

Para Tatisa Zonaro, ex-jogador e treinadora do Time Jundiaí (no momento ela está em licença-maternidade), muitas ações estão sendo feitas para ajudar a divulgação do futebol feminino, especialmente para a Copa do Mundo. “Isso irá ajudar muito a procura e divulgação da modalidade. Mas ainda tem muito a ser feito para o futebol feminino ser aceito é apoiado como merece”, lembrou.


Tatisa acredita que o interesse pelo futebol feminino aumentou, se comparando com outros tempos. Mas para Ingrid é ainda muito pouco. “Hoje em dia o futebol feminino em grande parte dos clubes é levado como obrigatório ou apenas um jogo entre mulheres. Claro, tem aqueles que tem total apoio e torcida, porém ainda é levado como minoria”, contou.

As três acreditam que o Brasil que não vem em uma sequência positiva (perdeu os nove últimos amistosos), pode surpreender no Mundial. “Sabemos que o grupo do Brasil é um pouco complicado visto que já sofremos uma eliminação por uma equipe que está no grupo, e vindo de uma série de derrotas as meninas irão precisar demostrar todo comprometimento e principalmente um bom estudo das equipes adversárias. Mas como o futebol é uma caixinha de surpresas, eu acredito que possamos fazer uma boa campanha afinal muitas das jogadoras que estão lá , tem uma última Copa e vão querer dar o máximo”, disse Gerlândia.

“Como todo torcedor e jogadora, espero grandes de jogos. Sei que a seleção tem uma excelente capacidade e quem vem treinando forte para a disputa. E claro, que superem as expectativas de todos”, afirmou Ingrid.

“A seleção não foi bem nos últimos amistosos, mas foram com equipes bem fortes. Se nossas principais jogadoras Marta Cristiane e as mais experientes estiverem inspiradas conseguira as classificações”, lembrou Tatisa.

Tatisa lembrou que se o Brasil for bem no Mundial, pode ajudar a impulsionar a modalidade, com investidores chegando aos clubes. “Hoje nossa equipe continua com os trabalhos de base e principal. A divulgação da modalidade vai impulsionar principalmente à procura pela modalidade e o apoio das famílias.  Quanto a investidores se o Brasil for bem acredito, que será mais fácil aparecer investidores”, disse.


“Acredito que a situação atual poderia ser melhorada com maiores benefícios como alojamento, pois sei que existem procuras de meninas que queiram jogar, mas que são de longe e não tem como manter transporte. As expectativas após a Copa é que as procuras aumentem e a valorização seja maior, tanto para clubes pequenos até os mais conhecidos. Esperamos também procura de patrocinadores que tem grande importância dentro de um clube, mas acima de tudo, esperamos mais uma vez o respeito”, contou Ingrid.

“Através da visibilidade a modalidade poderá ser vista e consequentemente atrai parceiros para alavancar o reconhecimento e principalmente dar condições das equipes manterem suas jogadoras em atividade, além do que tornando visível muitas garotas que ficam deslocadas em participar da modalidade possam se espelhar nas atletas que irão disputar a Copa. Tendo em vista que ainda há pais que por não conhecerem a modalidade ainda não incentivam suas filhas”, afirmou Gerlândia.

Fotos da seleção: Assessoria/CBF
Futebol feminino: Jundiaí e região esperam aumento de praticantes com a Copa Futebol feminino: Jundiaí e região esperam aumento de praticantes com a Copa Reviewed by Thiago Batista on 06:09 Rating: 5

Nenhum comentário

Apenas usuários cadastrados no Google, com nome de identificação clara terão comentários permitidos. Reservamos o direito de não publicar o comentário, caso ele seja ofensivo ou desrespeitoso.
COMENTÁRIOS SEM IDENTIFICAÇÃO OU APARECENDO EM FORMATO ANÔNIMO NÃO SERÃO ACEITOS!