4ª divisão: Aqui, quem manda sou eu! Paulista vence a 7ª seguida no Jayme Cintra - Esporte Jundiaí Pular para o conteúdo principal

4ª divisão: Aqui, quem manda sou eu! Paulista vence a 7ª seguida no Jayme Cintra


O Paulista nesta edição 2019 da 4ª divisão do Paulistão pode ter alcunha: “Aqui na minha casa, quem dita as regras sou eu!”. Na sua sétima partida como mandante, venceu pela sétima vez na sua casa.

Na tarde deste sábado, o Tricolor venceu o Tupã por 2 a 1, no estádio Jayme Cintra, pela segunda rodada do grupo 11. Com a vitória, o Tricolor com três pontos e saldo de gols zerado, está em terceiro na chave, mas dentro da zona de classificação, por ser um dos quatro melhores terceiros colocados.

100% como mandante, o Paulista mesmo não jogando o mesmo futebol de alguns momentos da primeira fase, chegou a vitória com um gol ainda no fim do primeiro tempo, com Edinan (quarto dele na competição); e do zagueiro artilheiro Joaquin, na etapa final. Gabriel fez o gol de honra do Tupã.


Agora o Paulista enfrentará duas vezes o União Suzano, nos dois próximos sábados, onde com seis pontos pode encaminhar a sua classificação. O primeiro confronto contra o USAC será em Suzano, no dia 20, às 19h; enquanto a segunda partida será em Jundiaí, no dia 27, às 15h.




Esquemas
O Paulista entrou em campo com um esquema que sem a bola atuava no 4-2-3-1, com João Paulo atuando como volante. Mas com a bola, João Paulo em alguns momentos retornava à zaga, dando liberdade aos dois laterais e assim o Tricolor atuava no 3-3-3-1, com muito jogo pelas pontas do campo.

O Tupã misturou dois esquemas durante a partida: do 4-3-2-1 para o clássico 4-4-2 (variando pelo 4-2-2-2), com prioridade para a marcação, especialmente no meio-campo.


Primeiro tempo
Os primeiros 45 minutos de jogo foram amarrados. Muita disputa pela bola, especialmente com muito contato físico, com o árbitro Rodrigo Pires de Oliveira apitando tudo, em qualquer contato na “zona neutra” do campo. Neste período, os jogadores mais fortes fisicamente levaram vantagem. 22 faltas foram marcadas (14 do Tupã, segundo dados do comentarista Rafael Porcari, da Rádio Difusora)

O Paulista teve três boas oportunidades até os 35 minutos em chutes fracos, dentro da grande área, de Jeferson e Edinan, e no arremate de Demarchi, de fora da área, mas sem muito perigo.


O Tupã sequer fez sujar o uniforme do goleiro do Galo, Matheus Lopes. Pior, o seu camisa 1, Luiz Miguel, desde os 15 minutos de jogo praticava cera – ora demorando para cobrar um tiro de meta, ora a cada queda reclamando de lesão e pedindo atendimento.

Só que os acréscimos do primeiro tempo, o goleiro do Tupã, Luiz Miguel, falhou e deixou a bola no pé do centroavante, Edinan, que marcou 1 a 0, para o Paulista. Torcida em festa com a vantagem do time no intervalo.


Segundo tempo
Na volta do intervalo, o técnico Tupãnzinho promoveu duas mudanças na sua equipe. Tirou os meio-campistas Caio e Caique e entraram Gustavo e Robinho. Com isso, o Tupã queria atacar.

Mas quem ditou o ritmo foi o Paulista, que mantinha a posse de bola, e sempre procurava manter no campo de ataque. O time jundiaiense somente errava no último passe. A quantidade de faltas também diminuiu: apenas 5 foram registradas nos 15 minutos iniciais da etapa final.


O Paulista teve uma boa chance na bola parda, aos 24 minutos, em cobrança de falta de Demarchi, que Evandro desviou de cabeça, e o goleiro Luiz Miguel fez grande defesa.

Mas em nova jogada de bola parada, aos 32 minutos, o Paulista sacramentou a vitória. Escanteio batido por Yan, Joaquim subiu mais alto que todo mundo para fazer o seu terceiro gol na competição, o segundo gol do Paulista na partida.

Nos acréscimos, o Tupã fez seu gol com Gabriel, em tabela com Lucas. Mas esse tento do time visitante não fez o torcedor do Galo no Jayme Cintra sair feliz com a 1ª vitória do Galo nesta segunda fase.

PAULISTA 2 x 1 TUPÃ

PAULISTA
Técnico: Edson Fyu
(esquema 1-4-2-3-1)

Matheus Lopes

Victor Emerson
Joaquim
Evandro
Yan

João Paulo (> Kawan)
Demarchi

Matheus Nego
Carlinhos (> Gabriel Terra)
Jeferson

Edinan (> Guga)


TUPÃ
Técnico: Tupãnzinho
(esquema 1-4-3-2-1)

Luiz Miguel

Eliton (> Marlon)
Fabrício
Gui
Antônio

Ariel
Gledson
Caique (> Robinho)

Caio (> Gustavo)
Gabriel

Lucas

Gols
Edinam, aos 45min+1min (1-0)
Joaquin, aos 72min (2-0)
Gabriel, aos 90min+1min (2-1)

Árbitro: Rodrigo Pires Oliveira
Auxiliares: Alex Alexandrino e Fernando Afonso
estádio Jayme Cintra - Publico: 1.009 pagantes - Renda: R$ 13.920

Matérias mais populares da semana

Faltando uma semana para A-3, Paulista perde parceria e treinador

Faltando uma semana (mais precisamente nove dias) para o início da Série A3 do Paulistão, o Paulista não tem mais parceria e nem comissão técnica. E possivelmente elenco. Atuante na gestão do futebol profissional do ano passado, as empresas Kah Sports e Fair Play anunciaram nesta quinta-feira (16) a sua saída do clube. Em conversa com radialista Adilson Freddo, da Rádio Difusora, Edson Fio anunciou sua saída como treinador do Paulista.
Alguns jogadores do atual elenco que chegaram ao clube para defender o Paulista nesta temporada não devem permanecer. O Galo começa sua participação na Série A3 do Estadual no dia 25 de janeiro, quando enfrenta o Nacional de São Paulo, a partir das 16 horas no estádio Jayme Cintra.

Luto no futsal e no futebol! Morre Antônio Tadeu Pavanelli

O futsal de Jundiaí está de luto. O ex-goleiro e depois árbitro Antônio Tadeu Pavanelli faleceu nesta quinta-feira (16). Ele lutava contra um câncer e sofreu uma infecção intestinal. Pavanelli completou 66 anos no último dia 12. O velório será no Adamastor Fernandes, no Centro, a partir das 6 horas da manhã e o enterro ás 14h no Cemitério Nossa Senhora do Desterro.

Sempre com bom humor, Pavanelli ficou bastante conhecido no salonismo como árbitro, apitando os principais jogos nas quadras de Jundiaí e região. Atuou nas quadras como atleta e foi um dos grandes goleiros, com passagens pelo Unidos e Morando. 

Esteve também presente no futebol de campo - sendo jogador da Ponte Preta da Agapeama e também trabalho com categorias menores no Clube Jundiaiense.


Red Bull Brasil derrota Paulista em jogo-treino em Jarinu

Em Jarinu, o Red Bull Brasil venceu o Paulista por 4 a 3, em jogo-treino de preparação das duas equipes para a disputa do Campeonato Estadual. Inicialmente havia sido anunciado pelo clube jundiaiense que a partida seria disputada no sábado (18), mas na verdade ocorreu já nesta sexta-feira (17).
O Red Bull Brasil se prepara para disputa da Série A2 do Paulistão, que para o clube que treina no Aglomerado Urbano de Jundiaí e jogará em Campinas, começa na quarta-feira (22), contra o Atibaia, fora de casa, às 15 horas.
O Paulista está treinando para jogar a Série A3 (um nível abaixo da A2) e estreia no dia 25 (sábado da próxima semana), contra o Nacional, em Jundiaí, às 16 horas.

Taça das Favelas de futebol terá edição em Jundiaí neste ano

Sucesso no Rio de Janeiro há quase uma década e desde o ano passado na capital de São Paulo, a Taça das Favelas chega em Jundiaí neste primeiro semestre do ano, para movimentar as comunidades de Jundiaí e região. Jovens de 14 até 17 anos de ambos os sexos terão oportunidade de mostrar o seu talento e terem uma chance no futuro de jogar em um clube profissional.
Detalhes finais estão sendo acertados para o lançamento da competição, em coletiva de imprensa no mês de fevereiro que deve durar até maio.Deverão ser 16 equipes participando no masculino e oito no feminino.

Athletico-PR não jogará em Jundiaí na 3ª fase da Copa SP

Jundiaí não receberá mais jogos da atual edição da Copa São Paulo de futebol júnior. O confronto do Athletico Paranaense contra o Tupi de Juiz de Fora pela terceira fase será em Itu, na próxima segunda-feira (13), às 17h30, com transmissão do SporTV.
Com isso, o estádio Jayme Cintra encerra sua participação na Copinha, já que o contrato do Paulista e Jundiaí com a Federação para o evento vence na próxima segunda-feira (13).
Foram sete jogos na casa do Galo em 2020 pela Copa São Paulo de futebol junior, com 23 gols, média de 3,28 gols por partida.