PUBLICIDADE

Entrevista com Edson Fyu, treinador do Paulista, com mais de 70% de aproveitamento no ano

PUBLICIDADE


O Esporte Jundiaí traz neste sábado, véspera do confronto contra o Assisense, às 10h, no estádio Jayme Cintra, uma entrevista com o treinador do Paulista, Edson Fyu.

O técnico, que no Galo tem aproveitamento superior a 70% dos pontos disputados na temporada (sua equipe somou 51 dos 69 pontos possíveis, o que representam 73,91% de aproveitamento) falou sobre a sua formação, como nasceu a sua vontade em ser treinador, e fala com muito carinho de um ex-treinador do Paulista – Cilinho (teve uma rápida passagem em Jundiaí na Série A2 de 2000, quando o clube se chamava Etti Jundiaí). O comandante do Galo também falou sobre o calendário da 4ª divisão do Paulistão, que favorece os treinadores a fazer o seu trabalho, em detrimento de outras divisões. Conheça um pouco mais de Edson Fyu, a partir do próprio Edson Fyu.

Esporte Jundiaí: Como nasceu a vontade de ser treinador? Como começou a carreira de treinador?
Edson Fyu: Minha vontade nasceu após parar de jogar futebol. Passou um ano, tive fazendo cursos, estudando e logo depois tive a oportunidade de ingressar no Rio Branco, na base e no sub-15. Tive bons exemplos como treinador logo no começo, como Cilinho, que tinha assumido o profissional e trabalhar com ele e com professor Odirlei, que é um grande treinador, que revelou muitos jogadores na base e daí partiu tudo até chegar aqui onde estamos.


EJ: Quais foram os seus principais mentores na sua formação como treinador de futebol? O que eles ajudaram na sua formação?
Fyu: Tive muitos treinadores bons, como na época que jogava, como depois que trabalhei e trouxeram coisas boas. A certeza é tirar um pouco de cada um, lá atrás aprendi muita coisa com professor Cilinho, que estão implantando hoje no futebol e ele já fazia lá tras. O professor Odirlei, o João Batista que está no Flamengo de Guarulhos e aprendi muito com eles. Me influenciaram para estar onde estou.

EJ: Como gosta de montar seus times de futebol? Para você, os jogadores têm que se adaptar a tática proposta ou treinador adaptar os melhores atletas dentro de um esquema?
Fyu: Quanto a proposta é ter jogadores de qualidade e em cima disso, implantar o que você quer e eles assimilar. Como foi feito aqui, uma assimilação de forma muito rápida, com jogadores de qualidade, com boa técnica e isso deu resultado rápido e o grupo. Hoje em dia futebol é o grupo, gestão de pessoas, se você souber lidar com eles no vestiário, é o dia a dia com jogador e isso influencia muito.


EJ: O calendário da 4ª divisão, com jogos uma vez por semana, permite o treinador pensar a forma coletiva do time jogar seja em uma partida e no campeonato? O Paulista, hoje, joga coletivamente como você gosta, ou ainda falta detalhes a serem acertados. E porquê?
Fyu: Quando ao campeonato é bom, que você tem mais tempo para trabalhar a equipe. Tem tempo para implantar o que você quer, você tem uma semana toda até o próximo jogo e isso é importantíssimo. Para você definir a sua equipe e ter uma semana inteira de trabalho, coisa que na Séries A e B é difícil, com jogos quarta e sábado, ou quarta e domingo, e o espaço de tempo é muito curto. É importante isso. Detalhes a serem corrigido sempre tem, corrigir detalhes com jogos de sabedoria e inteligente e saber jogar esse mata-mata, e deixar eles concentrado e não ter nenhum erro e a gente possa passar e o Paulista chegar onde ele deveria estar.

EJ: Como está sendo enfrentar os treinadores nesta 4ª divisão? Qual a qualidade principal dos técnicos desta divisão?
Fyu: 4ª divisão é bem difícil. Varia muito de jogadores que tem oscilação. É difícil. Você espera uma coisa, é outra. Tem que ter muita atenção, bastante concentração e conseguir ter um êxito nas partidas. E sempre peço aos jogadores. E tem bastante treinador qualificado, com times bem montados. Às vezes a Federação e o povo poderia dar uma olhada melhor neste campeonato, pois tem muito jogador de qualidade.



EJ: Gosta mais de jogos de fase de pontos corridos ou playoff (famoso mata-mata)? Muda muito a postura de um time em jogo que e fase de pontos corridos em relação a partida de mata-mata?
Fyu: Eu prefiro pontos corridos. Mas estamos aí para jogar o playoff, que bem diz o mata-mata, com bastante atenção, sabedoria e inteligência. São jogos dificis.

EJ: Qual seu grande sonho no futebol?
Fyu: O grande sonho no futebol é dirigir um time grande futuramente. Acho que todo treinador almeja, trabalhar numa equipe grande, onde você tenha uma boa condição e tenha jogadores de qualidade e colocar o seu trabalho e isso que todos estão nesta divisão almeja.


EJ: O que achou de Jundiaí, da torcida do Paulista e do clube? Qual a satisfação de trabalhar no Galo?
Fyu: Primeiro instante foi muito bom e continua sendo. Gostei muito da cidade e da maneira que fui recebido e das condições de trabalho. Aqui é um clube grande, clube que já jogou a Libertadores e a torcida sempre está presente e apoiado e isso é importante para os jogadores eles estarem sempre apoiando.

EJ: Concentração será a palavra chave para o Paulista na fase eliminatória nesta reta final do campeonato?
Fyu: Sim, concentração o máximo, o máximo possível. São jogos decididos em detalhes, e a concentração é a palavra chave aqui
Entrevista com Edson Fyu, treinador do Paulista, com mais de 70% de aproveitamento no ano Entrevista com Edson Fyu, treinador do Paulista, com mais de 70% de aproveitamento no ano Reviewed by Thiago Batista on 14:16 Rating: 5

Últimas - Confira!!!

PUBLICIDADE