PUBLICIDADE

A3: 23 pontos é a média do G-8. 11 pontos é a média para escapar

PUBLICIDADE


Desde 2012 a Série A3 do Paulistão tem um formato similar na primeira fase: todos os participantes se enfrentam em turno único, quando se definem os participantes da próxima fase e os rebaixados. Pelo aproveitamento médio, para competição de 2020 com 16 clubes, com 23 pontos um time deve consolidar uma vaga no G-8. Para escapar da queda, 11 pontos estão sendo suficientes em média.

De 2013 até 2019 foram nove edições, sendo oito com 20 times (2012 – 2018) e a do ano passado com 16 equipes. Em apenas três neste período uma agremiação ficou de fora do G-8 com aproveitamento superior a 50%. O aproveitamento mais alto foi em 2013, quando o Joseense terminou com 52,63% (30 pontos) e não foi suficiente para classificar. Só que no ano passado, o Osasco Audax com 22 pontos – 48,89% conseguiu classificação – e depois foi campeão.

O penúltimo colocado que teve aproveitamento mais alto foi em 2013, quando o Barretos somou 15 pontos – 26,32%. Este aproveitamento hoje representa 12 pontos. Na época o torneio tinha 20 times. O vice-lanterna de aproveitamento mais baixo foi o Fernandópolis, em 2016, que terminou com 15,79% (9 pontos na época – também eram 20 times). Ano passado, com 16 equipes, o Taboão da Serra sofreu o descenso ao somar 10 pontos – 22,22%.



Por Thiago Batista
A3: 23 pontos é a média do G-8. 11 pontos é a média para escapar A3: 23 pontos é a média do G-8. 11 pontos é a média para escapar Reviewed by Thiago Batista on 10:30 Rating: 5

Últimas - Confira!!!

PUBLICIDADE