O Estrela da Ponte completou na última sexta-feira (5), 55 anos de história. Só que em vez de festa, onde quase sempre a camisa azul, com detalhes em branco, nesta temporada pode não estar em campo. Não por causa da pandemia, mas por problemas financeiros, antes ainda da pandemia.

Em fevereiro, o clube anunciou que não disputaria o Campeonato Amador, onde foi sete vezes campeão.  Uma reunião com seus conselheiros foi realizada e definiu a situação. A Liga Jundiaiense de Futebol já recebeu o pedido de licença, e o clube não deve disputar a competição em 2020.

O Estrela venceu o Amador de Jundiaí por sete oportunidades, sendo o último a ganhar a competição de maneira invicta – na temporada de 2018 (18 jogos sem perder). O Azulão ainda venceu a Série A em 1971, 1998, 2002, 2003, 2005 e 2006.

Fundado em 5 de abril de 1965, na Ponte São João, começou inicialmente como Congregação Mariana, mas depois virou a Sociedade Esportiva Estrela da Ponte. Na história do clube, um título de muito orgulho ocorreu em 2000: ganhou o Campeonato Metropolitano, espécie de Copa Libertadores do futebol amador do estado de São Paulo.

O Estrela da Ponte ainda detém a maior goleada da história da Série A do Amador de Jundiaí: em 12 de agosto de 1979, venceu o Automóvel Clube por 31 a 1, no Pedro Raymundo. A goleada valeu o título do turno para o Azulão, mas que não foi o campeão daquela temporada – o Cometa terminou como vencedor do Amador. Só que depois brilhou forte a estrela do time da Ponte São João por seis vezes no campeonato mais competitivo do futebol jundiaiense.

Por Thiago Batista