A Nascar, categoria do automobilismo americano, baniu a bandeira confederada de suas corridas, eventos e propriedades. O anúncio foi feito nesta quarta (10).

As forças confederadas representaram o sul dos Estados Unidos na guerra civil que aconteceu no país entre 1861 e 1865. Era o exército que defendia o regime escravagista.

A bandeira é imagem frequente em provas do stock car americano. O anúncio acontece durante os protestos raciais depois da morte de George Floyd, acusado de tentar pagar uma compra com nota falsa de US$ 20. Negro, Floyd morreu após um policial branco ter ficado por quase nove minutos ajoelhado sobre o seu pescoço em 25 de maio.

O banimento da bandeira foi pedido público feito por Bubba Wallace, o único piloto negro da Nascar. Ele disse que não havia lugar para ela no esporte.

Em 2015, a Nascar já havia feito promessa semelhante quando o branco Dylan Roof entrou em uma igreja frequentada por negros em Chareston e matou nove pessoas.

Por Redação Esporte Jundiaí