Assim como acontece com outras atividades, os atletas do basquete itupevense têm procurado alternativas para manter a forma e não desanimar durante o período da pandemia do covid-19. As dificuldades encontradas para realizar o trabalho física aumentam por se tratar de um esporte coletivo, em que o treino individual é apenas uma parte do treinamento para jogos e competições.

Uma das soluções encontradas foi o trabalho com os atletas em reuniões virtuais. “Estamos treinando na plataforma Zoom às terças, quartas e quintas, fazendo a parte física, para quando voltarmos focar apenas no tático e técnico”, explica o treinador Victor Hugo Crisol, responsável pelas equipes masculinas. “Os atletas aceitaram bem e a participação está sendo bem efetiva, e dentro da disponibilidade da maioria”, completa, destacando que o programa físico do basquete foi todo montado pelo auxiliar técnico Vine Vieira.

No feminino, as atletas da cidade também receberam orientação do professor Maurício Gobi. “Atividades físicas pelo menos três dias por semana, ou seja, movimentos localizados como abdominal, alguns trabalhos de braço (flexão), trabalho de pernas (agachamento), e alguns trabalhos aeróbicos (pular corda, caminhada ou até mesmo uma corrida próximo à casa delas)”.

Maurício explica também que as quadras fechadas e mesmo o fato de nem todas as jovens alunas possuírem celular ou mesmo acesso à internet, atrapalha bastante o treino à distância. “Com bola fica difícil, porque nem todas têm bola ou local para treinar. As que têm fazem um trabalho de fundamentos (dribles e manejo de bola)”, finaliza.

Por A Voz do Esporte de Itupeva
Foto: Divulgação