A Federação Paulista de Futebol solicitou ao Comitê de Contingência do Coronavírus do Estado de São Paulo a inclusão de um adendo a este protocolo, no qual foi atendido para o trabalho da imprensa na fase final da Série A1 do Paulistão. Foi autorizado o acesso de até 40 profissionais de mídia por jogo, sendo no máximo apenas um por veículo.

 

Para os jogos semifinais - Corinthians x Mirassol e Palmeiras x Ponte Preta - e as finais poderão contar com veículos de imprensa, que devem seguir as seguintes instruções para credenciamento, segundo a FPF comunicou em seu site.

 

- Foi autorizado o acesso para até 40 profissionais de mídia por jogo, sendo: 10 radialistas, 10 fotógrafos, 10 profissionais de imprensa escrita, 10 emissoras/sites para captação de imagem em vídeo. Em todos os casos, é autorizado apenas uma pessoa por veículo de mídia;

- Estes 40 jornalistas serão credenciados na zona vermelha, ou seja, sem nenhum acesso ao gramado de jogo. Na chegada ao estádio, será indicado o local onde deverão permanecer por toda partida;

- Os profissionais não terão acesso à zona de imprensa dos estádios. Não haverá entrevista coletiva nem mesmo zona mista;

- É obrigatório o uso de máscara;

- Haverá aferição de temperatura na entrada dos estádios;

- Obrigatório portar kit pessoal de álcool em gel;

-  Técnicos de rádio poderão preparar os equipamentos até 1h antes das partidas. Depois de finalizado esse processo, deverão deixar o estádio;

- Os fotógrafos deverão solicitar o credenciamento diretamente à Arfoc-SP;

- Para os demais segmentos, como há um número limitado de vagas por mídia, o credenciamento para as semifinais deve ser solicitado até 22h desta sexta-feira (31) pelo e-mail credencial@fpf.org.br, com nome, CPF e data de nascimento do profissional credenciado. O pedido de credenciamento não garante acesso ao estádio. A lista dos veículos/profissionais autorizados será divulgada pela FPF neste sábado;

- Se a quantidade de pedidos de credenciamento exceder o número de vagas disponíveis, o critério para seleção dos profissionais que poderão trabalhar nos estádios será a assiduidade da cobertura dos veículos dos clubes semifinalistas ao longo da competição.


Por Thiago Batista