O Fluminense entrou com uma proposta em campo: tirar a velocidade do Flamengo, marcando forte no meio-campo e apostar em jogadas de contra-ataque ou na bola parada superar o rival. Tudo que foi arquitetado pelo treinador Odair Hellmann deu certo e o Tricolor venceu o Rubro-Negro nos pênaltis por 3 a 2, após 1 a 1 no tempo regulamentar, na final da Taça Rio, na noite desta quarta-feira (8), no Maracanã. Com o título da Taça Rio, o Flu força a realização da final do Campeonato Carioca, contra o próprio Flamengo.

Os tentos saíram em um tempo cada um, e foram de cabeça. Gilberto fez no primeiro tempo para o Flu enquanto Pedro (ex-Tricolor) marcou para o Fla na etapa final. Nas penalidades erram Dodi e Michael Araújo para o Fluminense enquanto Léo Pereira, Rafinha e Willian Arão.

A decisão do Campeonato Estadual será em duas partidas, em datas ainda a serem definidas e mandos também. Segundo o regulamento do Campeonato Carioca, o Flamengo por ter melhor campanha na pontuação geral, tem o direito de escolher se será o mandante no primeiro ou no segundo jogo da decisão.

Artigo 28 - §1º – A associação campeã de turno melhor classificada no somatório de pontos obtidos nos 2 (dois) turnos (TG [Taça Guanabara] e TR [Taça Rio]), aplicados os critérios de desempate do artigo 6º, quando couber, terá direito a escolha do mando de campo da primeira ou da segunda partida da final.

Para decisão não há vantagem para nenhum dos times. Se der empate no placar agregado da final, a definição do título será nos pênaltis, conforme o regulamento do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro.

Artigo 28 - §2º – Havendo empate em pontos ganhos ao final da segunda partida do grupo I, será considerada vencedora a associação que obtiver melhor saldo de gols nas 2 (duas) partidas. Persistindo o empate a decisão dar-se-á pela cobrança de tiros livres diretos da marca do pênalti, de acordo com as regras da FIFA.

Por Thiago Batista
Foto: Divulgação – Lucas Merçon / Fluminense FC