O Metropolitano Jundiaí Futebol Clube cumpre integralmente e apoia todas as medidas das autoridades sanitárias para evitar a propagação do coronavírus em Jundiaí, especialmente aglomerações que envolvam neste momento crianças e adolescentes. Só que o clube está com seu planejamento pensando também no futuro, quando ocorrer o retorno das atividades de futebol.

O preparador físico do clube e também treinador da categoria sub-15, Raul Rodrigues, tem o esquema pronto para a volta das atividades físicas e técnicas dentro do gramado. Para ele duas semanas serão suficientes para os jogadores retomarem a técnica, depois de mais de 120 dias sem qualquer tipo de atividade em grupo com bola – alguns até mesmo de forma individual por limitações das suas residências.

“O ideal na volta seria ter um mês para preparamos os atletas da melhor forma, mas como sabemos que as coisas vão ser bem aceleradas, acredito que duas semanas cheias de treinamento será o suficiente para condicionar todos os atletas. Nesse período em que tudo será adaptado, duas semanas será suficiente. E depois com a sequência de jogos, que eles vão melhorar a parte técnica naturalmente”, comenta.

Desde o início da quarentena, em março, Raul orienta os garotos nas atividades que eles realizam em suas residências, com foco na parte física. “Já elaboramos duas sessões de treinos para os atletas, visando ser realizado individualmente, em espaços reduzidos, somente com o peso corporal, para que facilite para todos”, lembra.

Raul diz ainda que é importante que os jogadores se mantenham ativos neste momento para que possam voltar minimamente bem condicionados quando puderem novamente pisar no gramado. “As competições serão de tiro curto, então a parte física será fundamental”, completa.

Na volta aos treinamentos, Raul sabe quais os principais cuidados ele deve ter com os garotos para que não sofram lesões, pela longa ausência de inatividade de jogos e treinos com bola. “Devemos dar atenção principalmente nos membros inferiores, fazer um trabalho de fortalecimento, para minimizar os riscos de lesões. Enquanto na parte técnica temos que dar mais atenção nos trabalhos de passe, que é o fundamento mais usado durante uma partida”.

Por Redação Esporte Jundiaí
Foto: Divulgação